Um ano sem Neil Peart: Relembre 5 grandes clássicos do Rush [LISTA]

O baterista faleceu no dia 7 de janeiro, aos 67 anos

Redação Publicado em 07/01/2021, às 14h49

None
Neil Peart (Foto: Chris Mckay / MediaPunch / AP Images)

Em 7 de janeiro de 2020, há exato um ano, a música perdia Neil Peart, baterista e compositor do Rush, que morreu aos 67 anos em decorrência de um tumor no cérebro. 

Ao lado do baixista e vocalista Geddy Lee, e do guitarrista Alex Lifeson, Neil Peart fez história com o Rush, um dos nomes mais cultuados do rock progressivo, e também como instrumentista, se tornando um dos melhores na bateria e virando ídolo de qualquer baterista do mundo. 

Para matar um pouco a saudade de Neil Peart, e também do Rush, listamos cinco grandes músicas do trio canadense que merecem - e devem - estar em qualquer playlist de rock clássico e progressivo. 

Confira:

+++LEIA MAIS: Rush: Após morte de Neil Peart, procura pelas músicas da banda cresce mais de 2.000% no streaming

Tom Sawyer (1981)

Tom Sawyer foi o segundo single do álbum Moving Pictures e nunca alcançou mais do que o número 44 nas paradas norte-americanas, mas acabou se tornando a música mais conhecida da banda, muito devido à abertura da série de sucesso Profissão Perigo, que a utilizava de trilha-sonora.  A letra foi composta por Peart em parceria com o poeta canadense Pye Dubois


2112 (1976)

Com o álbum 2112, o Rush apostou em um som mais comercial após os dois últimos lançamentos, Fly By Night e Caress of Steel, falharem em alcançar um grande público. A faixa título tem mais de 20 minutos de duração e, com certeza, é uma das mais estimadas composições da história do rock progressivo.


Limelight (1981)

Também do álbum Moving Pictures, Limelight se tornou um dos grandes sucessos do trio canadense. Curiosamente, a letra fala sobre como Peart, uma pessoa introvertida, se sentia desconfortável em ter que lidar com a fama da banda no começo da década de 1980.


Working Man (1974)

Working Man foi um dos primeiros grandes sucessos do Rush, e não contou com Neil Peart em sua gravação, e sim com o baterista original John Rutsey. Peart entraria na banda somente meses depois.

Curiosidades: o solo da música foi eleito como um dos 100 melhores solos de guitarra de todos os tempos pela revista Guitar World, e Geddy Lee disse em entrevista à Rolling Stone EUA que é a música que mais gosta de tocar ao vivo. 


Red Barchetta (1981)

O álbum Moving Pictures é cheio de hits, e Red Barchetta é um deles. Embora a faixa nunca tenha sido lançada como single e chegado ao grande público, ela acabou ganhando um lugar cativo entre as melhores canções do Rush no gosto dos fãs. 

+++LEIA MAIS: Rush: relembre a genialidade de Neil Peart com a bateria isolada da clássica '2112'


+++ CYNTHIA LUZ | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL