Pulse

Universidade australiana oferece bolsa para doutorado em heavy metal

Simon Springer, professor de Geografia Social da Universidade de Newcastle, quer estudar algumas subculturas australianas

Redação Publicado em 30/06/2019, às 10h30

None
Ozzy Osbourne, em 2009 (Foto: AP Photo/Henny Ray Abrams)

A Universidade de Newcastle, na Austrália, anunciou uma vaga de bolsa de estudo que é o sonho de muita gente: uma oportunidade para estudar o heavy metal e tornar-se doutor no assunto. 

A instituição de ensino vai oferecer três bolsas de doutorado diferentes, duas para australianos e uma para alunos estrangeiros, cada uma no valor de cerca de R$ 73 mil por ano, para estudar a antropologia de várias culturas marginais da sociedade. Os temas a serem estudados são Falta de Moradia e Ajuda Mútua, Geografia Vegana, Abandono Escolar e as Possibilidades da Infância e Geografia do Heavy Metal. 

+++ Heavy Metal foi o gênero musical que mais cresceu em 2018  

O grupo que lidera o programa de estudos é Geografias Anarquistas. Segundo eles, as novas teses querem mostrar que “embora cenas únicas tenham se desenvolvido por todo o mundo, a massa de bandas de heavy metal nasceu em países do hemisfério norte. A Austrália está posicionada nessa evolução global, e deve a sua conexão história para o Reino Unido e suas culturas compartilhadas com seu colonizador original. Dirigida pelo coração da cultura do heavy metal, a Austrália desenvolveu sua aproximação de modo pessoal e único, produzindo várias bandas relevantes.”

O projeto do estudo já foi desenvolvido, e apresenta sete perguntas centrais a serem respondidas sobre o heavy metal: “quais temas as letras de bandas de metal australiana adotaram? São culturais e geograficamente únicas do continente?; “Qual é a relação entre a evolução cultural do heavy metal na Austrália e o colonialismo?”; “O heavy metal australiano é um fenômeno majoritariamente branco? Qual foi a resposta para a diversidade na cena?”; “Como o gênero é visto dentro da cena do metal na Austrália?”; “Qual é a reputação que os fãs de metal têm dentro do contexto australiano? Isso impacta no tipo de espaços que os fãs querem utilizar?”; “Como a geografia do país, comparada a outras cenas. contribuiu ou atrapalhou sua aceitação cultural?” e “O que existe no heavy metal australiano que o torna tão distintivo?”

Simon Springer, diretor do curso de Geografia Humana na Universidade de Newcastle, disse que “o que levou para isso é que recentemente me mudei do Canadá para assumiu um posto aqui, e como parte da negociação para eu aceitar o trabalho, foi que pedi uma bolsa para ter dois alunos de doutorado trabalhando comigo. Eu não acho que a Universidade espera uma grande descoberta disso, e provavelmente nem liga pro que eu vou fazer, desde que faça algo.” 

“Então, basicamente, eu tive carta branca para escolher as pessoas e trabalhar em áreas de interesse pessoal. Como um fã de metal durante toda a vida que recentemente começou a estudar o assunto, achei que seria um bom começo para aproximar a minha pesquisa. E claro, quando eu era estudante, ia adorar que alguém me disesse que estudar o heavy metal é academicamente válido.” 

Informações sobre o edital e a bolsa estão no site do professor Simon Springer. 

+++ De Emicida a Beyoncé: Drik Barbosa escolhe os melhores de todos os tempos