Vencedora do concurso BEP Roadie conta sobre a experiência de viajar com o Black Eyed Peas

Aos 16 anos, Raianne Antunes teve a chance de conhecer os ídolos e fazer a cobertura de três shows deles no Brasil

Por Stella Rodrigues Publicado em 09/11/2010, às 15h21

Raianne ao lado de Fergie, Taboo e sendo abraçada por Will.i.am

Ver Galeria
(3 imagens)

Raianne Antunes tem 16 anos e mora em Curitiba, no Paraná. Fã de música e, especialmente, do Black Eyed Peas, a garota mergulhou com tudo no concurso BEP Roadie, um reality show realizado em redes sociais, em ação criada pelas empresas DM9DDB e Mondo Entretenimento (saiba mais aqui). O reality foi criado com o intuito de selecionar um fã sortudo do grupo norte-americano para acompanhar três dos shows deles no Brasil (o de Porto Alegre ainda em caráter de competição e os de Florianópolis e São Paulo já como roadie escolhido) e fazer a cobertura das apresentações e atividades do backstage no Twitter, Orkut e Facebook. Dividida em fases, a disputa contou com a participação de mais sete mil inscritos.

Bater toda essa gente não foi fácil: "Eu passava 12 horas no computador todos os dias pedindo votos e seguidores. Cada seguidor valia dois pontos e os votos valiam um", revela a vencedora. O esforço foi mais bem recompensado do que ela esperava. A princípio, as regras do concurso estipulavam que o ganhador não tinha nenhuma garantia de contato com os integrantes do grupo, mas os simpáticos Black Eyed Peas receberam a garota muito melhor do que ela poderia esperar. "Já tinham avisado que [Will.i.am] não ia vir falar comigo, que ele não tirava foto e que não ele não precisava fazer nada disso, mas ele foi o que mais brincou comigo. Ele não é de tirar foto, mas quis tirar comigo, ele não é de abraçar, mas me abraçava toda vez que me via, me apresentou pro David Guetta. Ele foi também o primeiro a vir falar comigo, foi me dar os parabéns por ter conseguido chegar até lá", conta empolgada. Até participar do ritual de concentração realizado pela banda antes do começo de cada show, a chamada "reza", a jovem conseguiu.

Das milhares de pessoas que viram os shows do Black Eyed Peas durante a turnê brasileira (foram nove shows no país), somente Raianne teve a chance de frequentar os camarins para fazer uma cobertura ao vivo do que estava acontecendo antes das apresentações. Para ela, essa foi uma das atividades mais especiais. "A parte mais legal de cobrir foi o backstage. É uma coisa que ninguém nunca viu, só eu estava ali, ninguém nunca pôde entrar onde eu entrei. Então eu podia mostrar o que estava acontecendo no camarim, como eu interagi com eles. Durante o show, tinha que falar o que estava acontecendo de legal, o que eles fizeram antes de subir no palco, as músicas que eles estavam tocando." Mas, segundo a adolescente, sua função principal durante toda essa experiência era curtir - "Afinal, eu ganhei de mais de sete mil pessoas", comemora.

Será que a experiência com a cobertura animou a garota a investir no jornalismo? Não, mas a escolha profissional também foi influenciada pelo gosto pop: desde quando virou fã do Black Eyed Peas, ainda novinha, seu sonho é ser produtora musical. "Quando fui pesquisar sobre eles na internet, percebi que aquela era a banda que eu mais gostava na vida. Isso me ajudou em muita coisa, comecei a aprender inglês, comecei a tocar guitarra."

O que ela mais guardou dessa chance única de acompanhar sua banda preferida em alguns shows foi o carinho e apoio recebidos pelos músicos, especialmente Fergie e Will.i.am: "O momento do qual vou me lembrar mais é do Will me abraçando pela primeira vez", afirma, acrescentando que chorou bastante na hora de dar adeus aos ídolos. Veja ao lado algumas fotos de Raianne com o Black Eyed Peas.