A verdade sobre O Mágico de Oz: assédio, tapas e mais sobre o filme de 1939

Os bastidores do clássico de Victor Flaming foi bastante conturbado para a época

Redação Publicado em 22/06/2020, às 15h32

None
Judy Garland em O Mágico de Oz (Foto: Reprodução)

O Mágico de Oz, clássico de Victor Flaming, chegou aos cinemas norte-americanos e brasileiros em 1939, tornando-se um maiores sucessos do cinema e uma das maiores apresentações em technicolor (coloração de filmes em preto e branco).

Em meio a produções conturbadas (a maior parte do elenco foi trocada; o figurino também; etc), demorou para estrear - mas conquistou a todos assim que o fez.   

Nem tudo foi um mar de rosas, no entanto. Confira, abaixo, as verdades sobre os bastidores de O Mágico de Oz (via Aventuras na História):

 

Filmagens infernais

Judy Garland foi inserida no mundo artístico com dois anos de idade. Aos 17, ela foi escalada para viver Dorothy Gale em O Mágico de Oz, mas as filmagens foram "infernais". Garland fazia dietas cruéis, mal podia se alimentar e só podia fumar cigarros. Além disso, ela era forçada a usar drogas estimulantes e depressivas, tornando-se viciada em pílulas para dormir.

+++ LEIA MAIS: De Cisne Negro a O Irlandês: os 13 melhores atores do cinema na década de 2010 [LISTA]

 

Abusos físicos

Segundo o ex-marido de Judy Garland, Sid Luft, em seu livro de memórias, Judy and I: My Life with Judy Garland, os atores dos munchkins, que eram anões, frequentemente a assediavam, colocando as mãos por baixo do vestido da atriz. Em outro momento, o produtor Pandro Berman revelou que, certa vez, Fleming puxou Garland de lado e lhe deu um tapa no rosto, apenas para fazê-la parar de rir durante os takes.

 

Acidentes de trabalho

Margaret Hamilton, intérprete da Bruxa Má em O Mágico de Oz, também teve motivos para reclamar da produção do filme. Havia uma cena em que ela deveria cair num alçapão, sendo seguida por faíscas. No entanto, o planejamento falhou e o fogo começou a sair, mas o alçapão não abriu rápido como deveria. Após o acidente, a atriz ficou com queimaduras em seu rosto e mãos.

+++ LEIA MAIS: 7 filmes da Disney que não parece, mas completam 10 anos em 2020 [LISTA]

 

Mais acidentes de trabalho

Buddy Ebsen era o famoso Homem de Lata em O Mágico de Oz, até que uma irresponsabilidade fez com que ele fosse substituído depois de passar duas semanas no hospital e seis de repouso em casa. A tinta metálica que ele deveria passar em todo o seu corpo continha pó de alumínio, nocivo quando inalado. O ator foi trocado por Jack Haley, que passou a ser pintado com pasta de alumínio.

 

 


+++ A PLAYLIST DO SCALENE