Veterano de guerra conta como conheceu Elvis Presley no exército: 'Foi uma ótima experiência'

O Rei do Rock foi soldado dos Estados Unidos durante dois anos na Alemanha Ocidental

Vitória Campos | @camposvitoria (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 17/03/2021, às 18h16

None
Elvis Presley (Foto: Divulgação)

Elvis Presley precisou pausar a carreira para servir no exército dos Estados Unidos na Alemanha Ocidental durante dois anos (1958-1959). Além de Rei do Rock, conquistou o posto de Sargento, e lá conheceu a futura esposa, Priscilla Beaulieu.

Deryl Saylors, soldado quem teve a chance de conhecer Elvis à época, contou, em vídeo para o canal Spa Guy, a história de como se relacionou com o astro no exército.

+++ LEIA MAIS: Elvis Presley e Johnny Cash eram realmente amigos?

Segundo a Express do Reino Unido, Saylors foi voluntário para o recrutamento militar em 1958. Acompanhado de amigos, foi enviado à Alemanha Ocidental. Fazia parte da terceira Divisão Blindada, e isso o deixou próximo de Elvis.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

O veterano contou sobre a função de levar combatentes ao correio, onde oficiais de alta patente tomavam café e os soldados esperavam do lado de fora, no frio, e se lembrou de quando - entre 1958 e 1959 - chegou ao destino e conversou com o astro.

+++ LEIA MAIS: O dia em que Elvis Presley tomou vacina na TV para incentivar fãs [FLASHBACK]

O encontro aconteceu quando um oficial requisitou Saylors para levá-lo com seu jipe até o local. O soldado era um dos poucos com carro com aquecedor e aquele era um dia muito frio. Quando observou, outro oficial saíra de um carro, e quem dirigia? Elvis Presley. “Era ele, realizando exatamente a mesma função que eu.”

Para se aquecer, pediu ao veterano para entrar no carro com ele. Saylors contou ser de Booneville, EUA, e assim a conversa entre os dois fluiu.

+++ LEIA MAIS: Elvis Presley proibiu peixes em Graceland e comeu a mesma refeição por seis meses; entenda

Conversaram e compartilharam histórias por 15 minutos. “Foi uma ótima experiência e sempre fiquei feliz por conhecê-lo um pouco melhor,” concluiu Saylors.

+++ LAGUM: 'BUSCAMOS SER GENUÍNOS' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL