Veteranos, Bad Religion e Offspring dão aula de punk rock em show duplo em SP

Com visual sóbrio, bandas assumiram as idades que têm mas continuam quebrando tudo

Felipe Branco Cruz Publicado em 30/10/2019, às 19h52

Offspring foi uma das atrações do festival Rock Station no Espaço das Américas, em São Paulo
Divulgação/Ricardo Cardoso

Greg Graffin, do Bad Religion, e Dexter Holland, do Offspring, sabem que não são mais aqueles jovens contestadores dos anos 1990 que ajudaram a sacudir o cenário do punk rock californiano.

Na noite desta terça, 29, em São Paulo, os dois (de 54 e 53 anos) assumiram as idades que têm e com ares professorais deram uma aula dupla de punk rock dentro do festival Rock Station, no Espaço das Américas.

Bad Religion foi a primeira a subir no palco. Com cabelos brancos, óculos de grau e camisa social, o doutor em Paleontologia Evolucionária, Greg Graffin, se comportou como um verdadeiro professor, que ele realmente é. Só que, desta vez, ele estava ali para ensinar o bom e velho punk rock.

+++Leia Mais: Dor constante e 6 meses de agonia: Ozzy Osbourne relembra internação após queda

Com gestos comedidos, Greg cantou as letras fortes e contestadoras do Bad Religion como se ensinasse Ciência da Vida aos seus alunos na UCLA. No repertório entraram clássicos da banda como "21st Century (Digital Boy)", "Generator", "Los Angeles Is Burning", "I Want To Conquer The World", "Fuck Armageddon… This Is Hell", "Sorrow", "Infected" e "American Jesus", que encerrou a apresentação. 

Greg pouco falou com os fãs, deixando seus "ensinamentos" fluírem por meio da música. Ironicamente, um dos poucos momentos em que ele interagiu com a plateia foi quando o público começou a gritar "Ei Bolsonaro vai tomar no **" e ele perguntou o que aquela frase significava em inglês. Ninguém explicou.

Greg Graffin "leciona" punk rock para o público paulistano - Foto: Divulgação/Ricardo Cardoso

Se o Bad Religion deu uma aula clássica de punk rock, o Offspring se comportou mais com aquele aluno moleque que gosta de jogar bolinhas de papel no professor e contar piadas no meio da aula.

A diversão foi garantida pelo guitarrista Noodles que atirou copos de cerveja na plateia e contava uma nova piada a Dexter a cada faixa executada.

+++Leia Mais: Paul Stanley, do Kiss, relembra primeiro show do Led Zeppelin que assistiu: "Nunca vi nada tão perfeito"

Em comparação com o setlist do Bad Religion, o do Offspring foi bem mais pop, privilegiando apenas os hits, com a presença de clássicos como “Why Don’t You Get A Job?”, “Pretty Fly (For A White Guy)”, “The Kids Aren’t Alright”, “You’re Gonna Go Far, Kid” e “Self Esteem”.

Dono de um vasto repertório, a banda não precisaria fazer cover, mas lá pelo meio da apresentação eles pararam tudo para tocar "Blitzkrieg Bop", dos Ramones, e "Whole Lotta Rosie", do AC/DC. Ambas, aliás, muito bem recebidas pelo público.

Ao final, os "alunos" deixaram o Espaço das Américas após assistirem a "aula" graduados com louvor na disciplina do punk rock.

Público lotou o Espaço das Américas para os shows de Bad Religion e Offspring - Foto Divulgação/Ricardo Cardoso

Setlist do Bad Religion

21st Century (Digital Boy)
Fuck You
Anesthesia
Chaos From Within
Stranger Than Fiction
The Dichotomy
Recipe for Hate
End of History
The Handshake
I Want to Conquer the World
New Dark Ages
Lose Your Head
Automatic Man
We’re Only Gonna Die
Modern Man
Infected
You
Overture
Sinister Rouge
Generator
Do the Paranoid Style
Sorrow
Los Angeles Is Burning
Fuck Armageddon… This Is Hell
American Jesus

Setlist do Offspring

Americana
All I Want
Come Out and Play
It Won’t Get Better
Want You Bad
Genocide
Staring at the Sun
Blitzkrieg Bop (Ramones cover)
Whole Lotta Rosie (AC/DC cover)
Bad Habit
Gotta Get Away
Gone Away
Why Don’t You Get a Job?
(Can’t Get My) Head Around You
Pretty Fly (For a White Guy)
The Kids Aren’t Alright
Bis:
You’re Gonna Go Far, Kid
Self Esteem