Pulse

Violência de Coringa causa preocupação de críticos por inspirar pessoas reais

Críticos têm medo da simpatia por homicidas solitários que o filme possa gerar

Redação Publicado em 06/09/2019, às 10h48

None
Joaquin Phoenix em Coringa (Foto: Reprodução Warner)

Mesmo com aprovação praticamente unânime até agora, alguns  críticos estão preocupados com Coringa. As críticas caem sobre a mensagem do filme ser uma glorificação de pessoas solitárias e raivosas cometendo atos de violência.

As objeções são justificadas, tendo em vista que essa é uma época onde massacres e atentados parecem acontecer quase diariamente. Alguns críticos até acham que o filme pode inspirar aqueles em um delicado estado mental a imitar a trajetória até à loucura do Coringa.

Também não seria a primeira vez que alguém se inspiraria no personagem para realizar um ataque terrorista. Durante uma exibição à meia-noite de O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012) em 2012, James Eagan Holmes entrou em um teatro em Aurora, no estado do Colorado e começou a atirar em membros da platéia, matando 12 pessoas e ferindo mais 70. Quando foi preso, o atirador disse à polícia que ele era o Coringa.

Mesmo com esses comentários, não se pode fazer muita coisa para impedir o lançamento do filme nesse ponto. Após vários elogios a atuação de Phoenix como Coringaas notas altíssimas que a produção recebeu até agora e o potencial de competir no Oscar, o longa de Todd Phillips será exibido ao redor do mundo, contendo mensagens nocivas ou não.

Coringa estreia nos cinemas brasileiros no dia 3 de outubro, e tem no elenco Joaquin Phoenix, Zazie Beets, Robert De Niro e Marc Maron.