Virada Cultural - Mestre do samba

Paulinho da Viola driblou atraso e problemas no som e fez ótimo show no palco República

Por Marcos Lauro Publicado em 17/04/2011, às 21h02

Para encerrar com garbo as apresentações no palco da Praça da República, Paulinho da Viola fez um apanhado de seus sucessos com o acompanhamento da Orquestra à Base de Corda, de Curitiba.

Com a instrumental "Sarau Para Radamés", a orquestra iniciou o show com um atraso de meia hora. Durante a música, os problemas de áudio ainda estavam sendo sanados e gritos de "aumenta o som" ganhavam coro entre a plateia.

O show contou com mais dois convidados: Celsinho Silva no pandeiro e o maestro Cristóvão Bastos ao piano, com quem Paulinho dividiu um belo momento voz-violão-piano em "Sinal Fechado". Mesmo num show ao ar livre, a música conseguiu conquistar o público com sua tensão característica e fácil reconhecimento. Os primeiros acordes do violão de Paulinho já arrancaram aplausos. Antes, na entrada do pianista, fizeram "Choro para Waldir", uma composição dos dois que homenageia Waldir Azevedo, "um dos maiores cavaquinistas que o Brasil já teve", como disse Paulinho.

Músicas como "Pecado Capital", "Coração Leviano" e "Timoneiro", que encerrou a primeira parte do show, ganharam a Praça da República, lotada. No bis, "Foi um Rio que Passou em Minha Vida", para o deleite de senhorinhas que estavam na grade cantando a música há algum tempo. No final, se ouviu até um "Casa comigo, Paulinho!".