Virada Cultural Paulista terá bandas dos anos 1980

Blitz, Trio Los Angeles e Rádio Táxi estão escaladas para a edição estadual da maratona de artes, que começa às 18h deste sábado, 16; enquanto isso, Rio de Janeiro pode estrear Viradão Carioca

Da redação Publicado em 11/05/2009, às 15h24

Enquanto a maratona na capital teve orçamento encolhido de R$ 6 milhões para R$ 4,5 mi, a Virada Cultural Paulista engordou o cofre: para levar 563 atrações a 20 municípios do Estado, entre 18h sábado, 16, até às 18h do dia seguinte, o evento vai dispor de R$ 5,5 mi, R$ 1 mi a mais do que o ano passado.

A estimativa é de que um milhão de pessoas (250 mil a mais do que 2008, mas bem aquém dos quatro milhões que tomaram o centro da capital no primeiro final de semana deste mês) saia às ruas para a terceira edição do evento, que em 2007 só incluía 10 cidades no roteiro. A Virada passará por Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Caraguatatuba, Franca, Indaiatuba, Jundiaí, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santa Bárbara D'Oeste, Santos, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto, São João da Boa Vista, São José dos Campos e Sorocaba.

As cidades receberão nomes como Sepultura, Marcelo D2, Jorge Ben Jor, Lenine, Ratos de Porão, Moraes Moreira, Leci Brandão, Ultraje a Rigor, Pitty, CPM 22, Monobloco, Lobão, Cachorro Grande, Almir Sater, Dona Ivone Lara e Cordel do Fogo Encantado. Além disso, o cardápio cultural terá dois "pratos especiais": bandas oitentistas e atrações ligadas ao onipresente Ano da França no Brasil.

No fator "túnel do tempo", shows do Trio Los Angeles (composto por Márcio Mendes, duas morenas e guarda-roupa lotado de maiôs em asa-delta, o grupo despontou nos anos 1980, com o hit "Vamos Dançar Mambolê"), Rádio Taxi (com ex-integrantes das bandas Secos e Molhados e Tutti Frutti) e Blitz (estágio na carreira de Evandro Mesquita, Fernanda Abreu e Lobão), entre outros.

Já a porção francesa vem com a exibição de várias fitas do país, como O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001), Pintar ou Fazer Amor (2005), Paris, Te Amo (2006), Em Paris (2006) e o infantil Brincadeiras de Criança (2008).

O projeto Cinema Tocado apresentará uma sessão de cinema mudo com trilha feita na hora, a quatro mãos e bem mais aparelhos: Michelle Agnes vai se revezar entre piano e harmônico enquanto Cristiano Rosa cuidará de sintetizadores e instrumentos eletrônicos. Nivio Mota se encarregará de interferências visuais, usando acervo francês (Jean Renoir e Georges Méliès), além de animações anônimas do começo do século 20 e filmetes dos ícones do cinema mudo Charles Chaplin e Buster Keaton.

Clique aqui para conferir a programação completa do evento.

Clique aqui para saber mais sobre a quinta edição da Virada Cultural paulistana.

Rio pode ganhar Viradão Carioca

Enquanto isso, uma outra Virada está sendo cozinhada a 450 km da capital paulista. Segundo o jornal O Globo, o Rio ganhou sua própria versão do evento que há cinco edições acontece em São Paulo. E a demora será compensada com apetite dobrado: seriam 48 horas de Viradão Carioca, previsto para começar às 21h do dia 5 de junho.

A programação ainda não foi anunciada, mas o itinerário varreria da Zona Oeste ao Centro da Cidade, com quatro pólos principais: Praça Quinze, Cidade do Samba, Madureira e Santa Cruz. A virada à carioca se espalharia ainda por teatros municipais, praças públicas e teria inovações como um corredor de máquinas jukebox programadas por três DJs nas imediações da Praça Tiradentes, além de "trio elétrico" com programação de bandas de rock. Segundo a secretária municipal de Cultura, Jandira Feghali, a referência será "a ousadia paulista". Mas com direito a apetite dobrado: "Vamos ousar muito mais".