Virada Cultural - Veterano do rockabilly em boa forma

Slim Jim Phantom, ex-baterista do Stray Cats, conquistou público paulistano e se mostrou surpreso com o tamanho do evento: "Eu não esperava por isso, cara!"

Por José Julio do Espirito Santo Publicado em 17/04/2011, às 16h27

Ele tem um dos mais emblemáticos visuais de bad boy dos anos 50, e 50 também é a idade dele, mas o baterista Slim Jim Phantom não vive apenas de colher os louros de um passado glorioso com o trio The Stray Cats. Seria um desperdício para alguém que inventa um projeto musical atrás de outro quando não está no comando de sua casa noturna, a The Cat Club, em Hollywood.

Minutos depois de Lemmy (parceiro dele em The Head Cat - mais uma empreitada de rockabilly, rock'n'roll e jump blues) terminar mais um show do Motörhead em outro canto da cidade, Slim Jim Phantom fazia sua estreia na Virada Cultural com músicos com os quais nunca havia tocado antes: o vocalista e guitarrista Henry Paul e o baixista Jimmy Black. Ambos são do Henry Paul Trio, conjunto rockabilly de São Paulo que conhece todo o repertório dos Stray Cats, além dos clássicos do estilo.

Enquanto o palco montado na frente da antiga Estrada de Ferro Sorocabana ia aos poucos lotando de camisetas pretas com caveiras estampadas à espera dos Misfits, a atração posterior, Phantom não se acanhou de tocar hits como "Runnaway Boys", "(She's) Sexy + 17" e "Rock This Town" para um público mais afeto à porrada sonora. No final, nenhuma garrafa voou para o palco - sinal de que o magro cinquentão conquistou a plateia. No backstage, depois do show, nossa conversa gira em torno de grandes eventos de rockabilly, como o Hootenanny Festival e o Viva Las Vegas Rockabilly Weekender, até eu mostrar o mapa da Virada Cultural e suas zilhares de atrações. "Eu não esperava por isso, cara!", Phantom confessou com uma cara de que parece estar sonhando. "Eu fui convidado a vir para cá há bem pouco tempo e não consegui trazer a banda que costuma me acompanhar. Deu tudo muito certo".