Viúva de Champignon desabafa: “Ainda não sei como vou suportar”

Ex-baixista do Charlie Brown Jr. morreu na segunda-feira, 9, seis meses depois de o amigo e vocalista da banda Chorão

Redação Publicado em 11/09/2013, às 19h48 - Atualizado às 19h57

Outra foto ao lado da esposa, Claudia, atualmente grávida de 5 meses
Reprodução / Facebook

Grávida de cinco meses, Claudia Bossle Campos, a viúva de Champignon, usou o Facebook pessoal para agradecer as mensagens de apoio, condolência e carinho desde a morte do músico, ocorrida na segunda-feira, 9.

10 grandes músicas com o baixo marcante de Champignon no Charlie Brown Jr.

“Obrigada a todas as mensagens de carinho e força”, começou Claudia. “Ainda não sei como vou suportar. Vivi o amor mais sublime e raro. Ele era a pessoa mais encantadora e maravilhosa do mundo! Sorte de quem pôde conhecê-lo.”, escreveu ela.

Relembre momentos da vida de Champignon.

A polícia trabalha com a hipótese de suicídio no caso de Luiz Carlos Leão Duarte Junior, o Champignon, ex-baixista do Charlie Brown Jr. e líder da banda A Banca, criada após a morte do vocalista Chorão. O músico de 35 anos havia voltado de um jantar com a esposa e um casal de amigos, na noite de domingo, 8. Sabe-se que houve uma discussão, mas ainda não há detalhes.

A polícia diz que, depois de chegar em casa, ele entrou em um dos quartos do apartamento em São Paulo e deu dois tiros: um de teste, no chão, e outro na cabeça.

Abalada com a morte do marido, Claudia não havia se pronunciado desde segunda-feira. Agora, na quarta, 11, ela voltou ao Facebook – onde é possível encontrar fotos do casal – para declarar-se para ele. “Amor, eu te amo mais do que tudo nessa vida. Vou te amar pra sempre. Faria e farei tudo de novo por ti, pra viver ‘shangrilla contigo, meu amor’”, declarou ela.

Vivendo no limite e buscando incessantemente respostas, Chorão alcançou o sucesso, colecionou fãs e propagou mensagens. Mas nada foi suficiente para que ele conseguisse salvar a si próprio.

Ela ainda usou o espaço para pedir por mais apoio dos amigos e fãs de Champignon. “Peço uma corrente de oração gigante do tamanho do coração dele neste momento para que ele possa caminhar para a luz e descansar no leito do amor de Deus. Eu e Maria Amelinha estamos aqui ainda neste plano, amando-te e esperando a hora de nos reencontrarmos e continuarmos nossos tantos sonhos juntos! Deve existir alguma terceira palavra que me salve resultante desta rima de amor e dor.”