Voz, violão e coração

Apoiado pela plateia em show intimista, Marcelo Camelo reinventa repertório e apresenta música inédita

Bruno Raphael Publicado em 14/01/2012, às 00h57 - Atualizado às 10h30

Marcelo Camelo revisitou repertório do Los Hermanos e mostrou música inédita em show no Auditório Ibirapuera, em São Paulo

Ver Galeria
(4 imagens)

A noite não poderia ser mais apropriada para Marcelo Camelo, em São Paulo. Com uma lua de tamanho maior do que o comum iluminando a capital paulista, o músico carioca estreou a canção "Luzes da Cidade" em sua apresentação no Auditório Ibirapuera nesta sexta, 13, em um show que na maior parte contou apenas com sua voz e seu violão. E, é claro, as centenas de vozes da plateia, que foram um destaque à parte.

Passava das 21h quando ele subiu ao palco, montado com uma cadeira vitoriana, dois amplificadores e um banco de madeira, reservado ao rabequista Thomas Rohrer, que se juntaria posteriormente à apresentação. Muito aplaudido, Camelo começou a música nova, de um dedilhado suave e letra claramente dedicada à namorada, a também cantora Mallu Magalhães, presente na plateia. Um dos versos da música: "Pode ser abençoado o teu amor, Pitanga [nome do último disco de Mallu, lançado ano passado]".

"Não sei como consegui tocar essa música, minha mão não parava de tremer", desabafou o cantor, gerando risadas na plateia. Com a premissa de que tocaria canções de sua autoria cedidas a outros artistas, Camelo seguiu com "Dois Em Um", gravada em meados da década passada por Milena Monteiro.

Estrevista Rolling Stone: Marcelo Camelo - leia a íntegra aqui

Mas, como não poderia deixar de ser, foi com o repertório do Los Hermanos que o público se animou. "Casa Pré-Fabricada", do disco Bloco do Eu Sozinho (2001), foi cantada timidamente por uma plateia que, há de se levar em conta, estava com a afinação em dia. "Passou o nervosismo!", brincou Camelo, após a recepção entusiasmada.

Com o jogo ganho, vieram "Pra te Acalmar" (de seu mais recente disco, Toque Dela) e "Samba a Dois", esta última com o hermano jogando para a plateia quase metade da canção, que deixou de ser coadjuvante no show para protagonizar. Depois de um novo coro em "Doce Solidão", o músico não conseguiu deixar a aparente surpresa de lado: "Que plateia afinada! Com quem vocês aprenderam?".

A entrada de Thomas Rohrer se deu em "Janta", quando pedidos tímidos de "Vai lá, Mallu" vieram da plateia, que não se importou muito de não ter sua vontade atendida. A noite era apenas e para Camelo, que revisitou "Dois Barcos", "Fez-se Mar" e "Pois É", todas de 4 (disco de 2005 do Los Hermanos), em versões ainda mais sentimentais e emotivas. Ao final do "pout-pourri", era impossível não ouvir alguns soluços ao redor do Auditório. "Eu estou achando vocês meio quietos demais", brincou, após "Tudo Que Você Quiser". "Se estiver ruim, pode falar. Quer dizer, pode falar mais ou menos [risos]."

Com "Menina Bordada", o show ganhou novo ânimo, com direito a palmas acompanhando a canção. O destaque ficou para Rorher, que mostrou intimidade com a rabeca e roubou a cena em sua última música, antes de retornar para o bis. "Santa Chuva" e "Pra Falar de Amor", gravadas anteriormente por Maria Rita e Erasmo Carlos, foram as responsáveis por diminuir o ritmo.

"A Outra" e "Morena" também foram tocadas, esta última em uma versão reduzida ("não estava no set list, mas eu vou tocar", disse Camelo após pedidos insistentes de uma fã desconhecida). Logo após, foi a vez dele mesmo pedir um favor: "Eu queria tanto ouvir vocês cantarem essa", disse, durante "Cara Valente". Prontamente atendido, a acústica do Auditório favoreceu ainda mais o "coral", que foi aprovado pelo ídolo: "Vocês cantam demais!"

Relembrando o nervosismo da primeira música, Camelo disse ao público que gostaria de tocar novamente "Luzes da Cidade". Desta vez, como é de costume em shows de sua carreira solo e no Los Hermanos, o público já arranhava alguns versos junto com o cantor. Parecia o fim da apresentação quando o hermano se levantou e foi aplaudido de pé, por cerca de três minutos.

Não tardou e Camelo retornou, acompanhado de Rohrer, para tocar mais duas músicas. "Tá Bom", uma preferida do set list do Los Hermanos, já prenunciava o fim da apresentação. Mas foi com "Liberdade", de seu disco solo de estreia Sou (2008), que ele encerrou a apresentação. Aplaudido de pé novamente, o hermano mostrou que é o mais próximo de um Chico Buarque – pelo menos em termos de idolatria do público – que existe na geração atual da música brasileira.

Veja abaixo o set list da apresentação e ouça "Luzes da Cidade":

"Luzes da Cidade"

"Dois em Um"

"Casa Pré-Fabricada"

"Pra te Acalmar"

"Samba a Dois"

"Doce Solidão"

"Janta"

"Dois Barcos"

"Fez-se Mar"

"Pois É"

"Tudo Que Você Quiser"

"Menina Bordada"

"Santa Chuva"

"Pra Falar de Amor"

"A Outra"

"Morena"

"Cara Valente"

"Luzes da Cidade" (reprise)

Bis

"Tá Bom"

"Liberdade"