Vozeirão contido

Joe Cocker caprichou no blues e soul, mas as canções lentas agradaram mais no show realizado em São Paulo na última quinta, 29

Paulo Cavalcanti Publicado em 30/03/2012, às 14h03 - Atualizado às 15h26

O primeiro bis do show contou com "Shelter Me", "She Came in Through the Bathroom Window” (Beatles) e “Cry me a River”.

Ver Galeria
(3 imagens)

Joe Cocker pode não ter inventado o air guitar, mas a sua performance espasmódica imortalizada em 1969 no filme do festival Woodstock consagrou o gesto para a nação rock and roll. Mais de 40 anos depois, o cantor inglês de voz rouca, embora ligeiramente mais contido, continua não só fazendo air guitar, mas também air keyboards. Cocker, agora com 67 anos, há mais de 20 não se apresentava no Brasil. Ele cantou na última quinta, 29, na Via Funchal, em São Paulo.

Precisamente às 22h, no horário marcado e com a casa lotada, ele subiu ao palco interpretando “Hitchcock Railway”. Cocker emendou com mais dois hits antigos: “Feelin' Alright” (originalmente gravada pelo Traffic) e The Letter (The Box Tops). Depois de “When The Night Comes”, os muitos casais presentes se assanharam com as baladas “Up Where We Belong”, tema do filme romântico A Força do Destino (1982) e com a emblemática “You Are So Beautiful”, escrita por Billy Preston e “apropriada” por Cocker.

A seguir veio “Hard Knocks”, canção que dá nome ao álbum que ele lançou em 2010. “Come Together”, dos Beatles, também ganhou uma boa versão de Cocker e sua banda. Mais um momento de frisson aconteceu quando o cantor mandou bala na sensual “You Can Leave Your Hat On”, canção de Randy Newman e tema do filme 9 1/2 Semanas de Amor. O dono do show colocou todo mundo para dançar e cantar ao som de “Unchain My Heart”, original de Ray Charles, e posteriormente um grande hit com o próprio Cocker.

É pertinente dizer que a voz de Cocker ainda dá para o gasto, embora ele a poupe para que consiga chegar até o fim do show sem maiores danos. A essa altura, com uma hora de apresentação, veio o momento mais esperado, com a versão apoteótica de Cocker para “With a Little Help from My Friends”, que muitos consideram até superior à original dos Beatles. A canção foi usada como tema principal da série Anos Incríveis, e nesse momento era possível perceber que muita gente, principalmente os mais jovens, estava lá para conferir ao vivo a canção que embalou as aventuras de Kevin Arnold.

Cocker então deixou o palco e retornou para o primeiro bis, com “Shelter Me", "She Came in Through the Bathroom Window” (Beatles) e “Cry me a River”, standard que na voz de Cocker ganhou uma versão mais roqueira. O vocalista e sua banda saíram de novo e o derradeiro bis teve “High Time We Went” e “As Long as I Can See the Light” (canção do Creedence Clearwater Revival), com Cocker em momento gospel acompanhado basicamente por um órgão.

Assim, o show terminou em ponto alto. Uma pena que Joe Cocker simplesmente ignorou “Delta Lady”, composta pelo amigo Leon Russell e que foi um mega hit em 1969. Neste sábado, 31, ele se apresenta em Belo Horizonte, no Chevrolet Hall.