Yoko Ono diz que relacionamento com John Lennon arruinou a carreira dela

Em 2012, a artista plástica desabafou sobre temas como gravidez, traição e o ódio disseminado pelos fãs dos Beatles

Redação Publicado em 05/12/2019, às 11h05

None
John Lennon e Yoko Ono (Foto: AP)

John Lennon conheceu Yoko Ono em 1966. Mais tarde, o ícone dos Beatles se apaixonou pela artista plástica e eles se casaram em 1979. Mas o relacionamento deles nem sempre foi fácil, especialmente pela reação que enfrentavam dos fãs.

+++ LEIA MAIS: Os Beatles foram invenção socialista para fazer garotas abortarem, diz novo presidente da Funarte

Durante uma entrevista para o jornal The Telegraph em 2012, Ono lembrou o impacto que Lennon teve em sua carreira artística e, por outro lado, como o casamento deles afetou a direção da música dele.

"De certa forma, John e eu arruinamos nossas carreiras quando nos reunimos. Embora não estivéssemos cientes disso na época", disse ela.

+++ LEIA MAIS: Os Beatles eram analfabetos em música, diz Olavo de Carvalho

Um ano depois de se reunir com Ono, John Lennon saiu dos Beatles e se afastou do mainstream. Ela o encorajou a explorar mais músicas experimentais e ele chamou a atenção dela para o relacionamento deles e para longe de sua arte.

Ono não culpava o marido por eclipsar sua carreira e, ao ser questionada, ela disse que precisou escolher entre o amor e a arte: "Definitivamente (...) Quando engravidei, tive que me concentrar por nove meses inteiros, mesmo sabendo que estava prejudicando minha carreira."

Ela havia sofrido diversos abortos antes de engravidar aos 42 anos de idade, e passou a maior parte da gravidez em repouso, com medo de perder outro filho. Naquele período, Ono e Lennon se aproximaram ainda mais: “John pegava uma cadeira de rodas e me empurrava para a cozinha, para almoçarmos. Isso não é doce?"

+++ LEIA MAIS: Ringo Starr disse que "não sabia o que fazer" quando soube da morte de John Lennon

A artista plástica também contou que o ódio disseminado pelos fãs dos Beatles contribuiu para as dificuldades em seu relacionamento, levando ao caso de Lennon com sua assistente, May Pang, do qual ela sempre esteve ciente.

Ono acrescentou: "O caso dele não foi prejudicial para mim. Eu precisava descansar. Eu precisava de espaço. Você pode imaginar como é receber essa vibração de pessoas odiosas todos os dias? Você quer sair disso."

Depois de um ano e meio, Lennon retornou a Ono, em Nova York. Eles permaneceram casados ​​até sua morte, em 1980, quando ele foi assassinado por Mark Chapman do lado de fora de sua casa em Dakota, Manhattan.