YouTube revela novo serviço de streaming de música por assinatura

Music Key será distribuído a um “limitado grupo de pessoas” e deve chegar ao público geral em 2015

Rolling Stone EUA Publicado em 12/11/2014, às 19h27 - Atualizado às 19h48

YouTube (logo)

Ver Galeria
(10 imagens)

O aguardado serviço de streaming de músicas do YouTube, batizado de Music Key, será finalmente lançado para “um limitado grupo de pessoas que ouvem a maioria das músicas do YouTube”, segundo disse um assessor à Rolling Stone EUA.

O estado da música: capa de aniversário da Rolling Stone Brasil analisa o futuro após o revolucionário lançamento do disco do U2.

O serviço é livre de propagandas e chegará ao público geral apenas em 2015, custando US$ 10 por mês. Music Key terá foco em aparelhos móveis, permitindo que o usuário ouça música enquanto navega por outros aplicativos, além de liberar alguns vídeos que podem ser assistidos offline.

O YouTube tem trabalhado para lançar um serviço no crescente mercado do streaming musical, que inclui o Spotify, o Deezer e o Rdio, por exemplo. A empresa, contudo, encontrou dificuldades em junho, quando representantes das maiores gravadores independentes acusaram o YouTube de oferecer uma taxa “significativamente mais baixa” do que as pagas pelo serviço as grandes gravadoras, como a Universal e Sony.

Google Play Music: serviço de streaming de músicas chega ao Brasil apenas para usuários Samsung.

De acordo com uma reportagem publicada pelo jornal de negócios britânico Financial Times, entretanto, o YouTube finalmente fechou um acordo recente com a Merlin, uma agência de direitos autorais que está representado milhares de gravadoras independentes.

“Assinamos acordos com todas as grandes gravadores e com centenas de selos independentes ao redor do mundo para fazer com que o material deles esteja disponível”, diz à RS EUA o chefe global de parcerias musicais do YouTube, Christophe Muller. “Nós não achávamos que isso aconteceria do dia para a noite”.

Para diretor do Spotify, produto não “canibaliza” a indústria fonográfica.

Um representante da Merlin se recusou a comentar o acordo.

Music Key não irá alterar o tradicional site de vídeos, que possui mais de 1 bilhão de usuários por mês, nem o aplicativo de celular. Ele fará, porém, o agrupamento de faixas e álbuns por artistas, de maneira mais dinâmica (na maior parte, eliminando as covers estranhas e lyric videos), similar à dos outros serviços de streaming. O serviço também permitirá que os usuários naveguem pelo serviço Google Play, que inclui uma loja de downloads similar à do iTunes.