Zabomba faz disco com participação de Ney Matogrosso

Vocalista Rapha Z. falou à Rolling Stone Brasil sobre Vivendo de Truque, cujo show de lançamento ocorre na próxima quinta, 20, no Studio SP

Bruno Raphael Publicado em 18/10/2011, às 12h34 - Atualizado às 14h52

Zaboma e Ney Matogrosso
Foto: Divulgação

“O nosso som é rock tropical cinzento, porque é o rock dos trópicos e cinza porque a gente está em São Paulo.” É assim que Rapha Z, vocalista do Zabomba, define a sonoridade de Vivendo de Truque, terceiro disco da banda que sairá pelo selo Label A, que bancou os custos da produção. Em entrevista à Rolling Stone Brasil, ele falou um pouco sobre o conceito do álbum e a colaboração de Ney Matogrosso, que canta em uma das faixas.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

O nome do trabalho, segundo Rapha, surgiu do cotidiano do brasileiro. “A ideia partiu da dificuldade de conseguir sobreviver de música”, conta o músico. “Nos espelhamos na vida da maioria da população brasileira, que acaba ‘vivendo de truque’ com o salário que recebe.”

A capa de Vivendo de Truque mostra os músicos maquiados, em um cenário preto e branco. Para Rapha Z, as influências do disco são tão diversas quanto seus compositores, que vão de nomes como João Ricardo (ex-instrumentista do Secos & Molhados, que não toca na mesma faixa que Ney) a Rogério Skylab (que cedeu a música “Parafuso na Cabeça” ao repertório da banda). “[A foto da capa] tem a ver com o nosso universo, principalmente do centro de São Paulo”, explica. “O universo do [diretor] Tim Burton, o filme Cisne Negro, a noite paulistana e o momento que a gente vive. Essa brincadeira de ter uma capa mais ‘plástica’ do que a gente é no dia a dia. Mas é claro: com o Ney e o João Ricardo no disco tem uma brincadeira com o Secos & Molhados.”

Com produção de Antony Widoff, que já trabalhou com nomes como David Bowie e U2, Vivendo de Truque tem uma produção mais madura do que os outros dois discos anteriores do Zabomba, O Que Não Se Explica e Deslizando Sobre Ondas de Tensão, segundo Rapha Z. “É o terceiro disco e, embora a gente seja desconhecido, temos um público cativo”, conta o vocalista. “Nós do Zabomba temos um pé no chão, profundamente. Agora estamos felizes e fazendo a lição de casa.”

O show de lançamento de Vivendo de Truque previsto para a próxima quinta, 20, no Studio SP, em São Paulo, contará com a participação especial de Widoff e Ney Matogrosso, que cantará a música “Mente” com o Zabomba. “Ele ouviu o disco do Zabomba e adorou”, explica Rapha. “Daí nos conhecemos e chamei ele pra participar do disco.” Sobre a androginia da capa, aliada às letras das músicas, Rapha Z deixa claro que esta é apenas uma inspiração para o álbum, diferente dos shows da banda. “É um show ao vivo e a gente perde o controle, né [risos]”, confessa o músico. “Essa androginia ta presente no dia a dia, ainda mais hoje. Tem aquela coisa da homofobia também, nosso público é muito misturado. Mas não nos maquiamos ao vivo. Não tem nada teatral, talvez uma coisa mais energética e visceral: não é um show de melancolia.”

O Zabomba faz questão de se classificar como uma banda fora do eixo cult, mas sim um banda operária, que angaria fãs de áreas como a zona leste paulistana. Sobre a forte influência dos Secos & Molhados no álbum, Rapha Z explica: “Nós, de forma algumas, quisemos juntar o Secos & Molhados. O guitarrista do Zabomba, Paulo Passos, já trabalhava com o João Ricardo, que inclusive já tocou conosco. Já íamos gravar a música ‘Teatro?’, que é nome do disco solo dele [antes do convite a Ney Matogrosso].”

Assista abaixo ao making of de “Mente”, parceria do Zabomba com Ney Matogrosso: