Zakk Wylde só tocou com o Guns N' Roses por desespero, diz Slash

Para ele, nunca foi provável que a criação do grupo fosse para frente

Redação Publicado em 03/06/2019, às 17h15

None
Zakk Wylde (Foto: ZZ / KGC - 138 / STAR MAX / IPx)

Slash apareceu no programa Meltdown da última semana e falou um pouco sobre a fase em que Zakk Wylde criou e tocou - e quase entrou para - o Guns N’ Roses. O frontman do Black Label Society tinha acabado de tocar em Ozzmosis, disco de Ozzy Osbourne de 1995, quando foi convidado a visitar a banda em estúdio e tentarem criar algo juntos.

Para Slash, o motivo da união foi um desespero da parte do Guns e falta de alinhar os ideais. “Um pouco antes de eu sair da banda em 1996, o Guns N’ Roses estava ensaiando em Santa Monica, e o Zakk apareceu. Eu sempre fui amigo de Zakk, mas no contexto Guns, era algo estranho. A gente tocou juntos e aí… Não foi culpa do Zakk, mas só não estava funcionando. Saí um pouco depois disso”, relembrou Slash.

Para ele, chamar Wylde para tocar com o Guns foi “como um desses movimentos desesperados que fazemos quando algo precisa acontecer. Foi uma ideia louca que aconteceu. Acho que seria um pouco demais se Zakk e eu estivéssemos ali. Mas seria legal”, comentou.

Embora a parceria Wylde+GNR não tenha durado, todo o trabalho de criação não foi desperdiçado. As músicas que o guitarrista criou tornaram-se, mais tarde, os primeiros trabalhos de Black Label Society, como contou o músico à revista Revolver.

"Nós tocamos um monte de coisas, mas nada aconteceu com eles. Estavam todos lá, Slash, Axl [Rose], Duff [McKagan], Matt [Sorum] e Dizzy [Reed], e eu só cheguei e toquei. Nós fizemos várias demos e coisas no estúdio da casa do Duff. Nós temos vários riffs, mas nada foi para frente. Ficou em um limbo. Como nada estava acontecendo e eu tinha esses riffs guardados, eu pensei: 'bom, o que eu vou fazer agora? Acho que vou cantar sobre eles sozinho”, disse Wylde.

E então, Zakk entrou em contato com Phill Ondich, baterista dos dois primeiros discos do Black Label Society, e os dois foram para a Flórida gravar o álbum. "Aqui estamos 20 anos depois com o BLS", concluiu.

+++ De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos