Zeca Pagodinho revela melancolia e crise de inspiração durante a quarentena: 'Fiz quatro músicas esse ano'

"Pra quem fazia quatro por dia, isso é bem pouco", desabafou o sambista

Redação Publicado em 02/07/2020, às 12h13

None
Zeca Pagodinho (Foto: Ricardo Bufolin / Getty Images)

Na última madrugada, do dia 1 para 2 de julho, Zeca Pagodinho participou do programa Conversa com Bial, transmitido pela Rede Globo, e revelou que a pandemia de coronavírus tem o deixado desanimado, pois sente uma saudade imensa da rua, dos shows e, claro, dos bares.

+++LEIA MAIS: Ministro da Saúde Nelson Teich pede demissão do governo Bolsonaro 

Ainda, o sambista revela que mal está componto durante a quarentena, o que é atípico para ele: "Esse ano eu fiz umas quatro músicas. Pra quem fazia quatro por dia, isso é bem pouco", desabafou Zeca. "Tem dia que acordo muito triste. Eu moro em frente ao mar e não vejo mais ninguém na rua, mais nada, tá tudo parado.”

"Rapaz, eu nem sei que dia é hoje. Não sei se é quinta, sexta, sábado ou domingo, tem dia que não sei de nada. Eu gostava de sair todos os dias, de ir na gravadora, no salão e tá esquisito o bagulho", continuou, acrescentando: "Que vida é essa, Bial? Eu gosto da rua, do botequim, da conversa fiada, do partido alto, da favela. Estou louco para cantar o meu samba e ver os meus amigos. Tenho saudade dos shows, dos aplausos e dos sorrisos. Eu fico esperando acordar um dia e alguém me dizer: 'Acabou'." 

+++LEIA MAIS: Zeca Pagodinho notifica jovem que usou foto dele em post pró-Bolsonaro

Enquanto isso, a próxima live de Zeca Pagodinho está marcada para o dia 9 de agosto, no Dia dos Pais. "Até lá, eu vou enlouquecer", disse o músico em tom de piada.

 


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO