Ziggy Marley e Train aquecem público paulistano para o furacão Shakira

As duas bandas, ao lado do Chimarruts e do DJ Fatboy Slim, completaram o line-up do Pop Music Festival, que levou reggae, rock, música eletrônica e o pop rebolante da colombiana ao estádio do Morumbi no último sábado, 19

Por Stella Rodrigues Publicado em 20/03/2011, às 11h00

Ziggy Marley colocou o público da Shakira para dançar reggae, em São Paulo

Ver Galeria
(5 imagens)

A chuva parece ser a sina das edições do Pop Music Festival aqui no Brasil. Após a realização do evento em Brasília ter sido cancelada e, posteriormente, remarcada, São Paulo recebeu o evento, no último sábado, 19, sob uma garoa intermitente que não chegou a atrapalhar, mas causou certos incômodos. A começar, todas as atrações que antecederam Shakira, a principal estrela da noite e organizadora do festival, subiram ao palco cerca de meia hora antes, pois a previsão do tempo calculava que o fim da noite seria de pancadas de água mais fortes. Sendo assim, não eram nem 16h30 e poucas pessoas se encontravam no estádio do Morumbi quando o Chimarruts, primeira atração do line-up, ocupou o palco. Sem se intimidar com a presença mirrada de público, a banda gaúcha de reggae cantou alguns sucessos próprios, como "Saber Voar" e a apropriada "Deixa Chover", além de covers, como "My Girl", do Temptations.

Antes de 53 mil pessoas encherem o estádio para ver Shakira e seu rebolado hipnotizante (leia aqui como foi a apresentação da colombiana), aqueceram o público a banda norte-americana Train, que atualmente faz bastante sucesso no Brasil com o single "Hey, Soul Sister", e o músico jamaicano Ziggy Marley, filho do lendário Bob Marley. Leia abaixo como foram as apresentações.

Após Shakira se despedir do público paulistano, foi a vez do celebrado DJ Fatboy Slim assumir, comandando as pick-ups. O Morumbi continuou ainda bastante cheio para a performance dele, que fez um set animado o suficiente para que todo mundo dançasse até secar as roupas que foram ensopadas pela chuva.

Train

Embalado pelo sucesso do single "Hey, Soul Sister", que fez parte da trilha sonora da novela Ti Ti Ti (2010), o Train fez um show animado. Às 17h30, o som de uma locomotiva pôde ser ouvido por todo o Morumbi, anunciando que havia chegado a hora da apresentação da banda californiana. Patrick Monahan, o vocalista, subiu ao palco trajando uma camiseta da seleção brasileira e deu início à apresentação com a primeira das oito músicas que o apertado tempo permitiu que cantasse: "If It's Love". Apesar de poucos, os presentes eram empolgados e Patrick não se deixou abater pela visão de um Morumbi ainda cheio de espaços vazios. Um dos pontos altos do show foi quando o frontman chamou sete meninas da plateia e desafiou as jovens "Trainettes" a cantar e imitar seu rebolado (impressionante até mesmo em uma noite que teve Shakira como atração principal). Outro momento marcante foi durante o já tradicional cover que fazem de "Umbrella", da Rihanna, ao longo do qual a banda teve ajuda para cantar até mesmo de um rapaz que vendia cerveja na plateia - não parecia ter uma só pessoa alheia à letra desse grande hit. Antes de encerrar com um grande coro de "Hey, Soul Sister", ainda havia mais uma graça reservada. Patrick anunciou que desceria para cantar junto ao público. Desinibido, antes de se misturar ao povo, exibiu o invejável físico ao trocar a camisa regata preta que vestia por uma camiseta branca bastante reveladora em um dia de chuva. O resultado foi um aumento instantâneo de barulho no lugar, que foi tomado por gritinhos e suspiros. Ao cantar "Marry Me" em meio aos fãs, seus seguranças tiveram trabalho para manter algumas mãos mais assanhadas sob controle.

Ziggy Marley

O filho mais velho de Rita e Bob Marley fez uma performance bastante sossegada. O estádio do Morumbi já estava um pouco mais cheio quando o músico pisou no palco - dava para notar, inclusive, que as câmeras que transmitiam imagens do público para o telão não enquadravam mais somente o gargarejo na hora de mostrar a plateia, já que os espaços vazios já eram bem menos escassos. Cantando sucessos próprios, como "Love Is My Religion" e "Tomorrow People" (dele com o Melody Makers), misturados aos clássicos da carreira do pai, como "Get Up, Stand Up" e "Is This Love" - que, claro, todo mundo sabia acompanhar, nem que fosse somente o refrão - o sorridente artista segurou a ansiedade das pessoas que queriam ver a atração seguinte e fez com que elas dançassem ao som de seu reggae. Acompanhado de uma banda impecável, da qual fazia parte, inclusive, uma notável backing vocal, que cantava sozinha as canções em diversos momentos, Ziggy encerrou sua participação na noite ao som de "Look Who's Dancing".