Antes de incêndio, governo federal garantiu à Cinemateca conservação dos materiais e manutenção do espaço

Em publicação no site oficial do Governo Federal, anúncio de mudança para Ministério do Turismo previa mudanças administrativas sob decreto

Yolanda Reis Publicado em 08/08/2021, às 12h00

None
Cinemateca Brasileira

Depois de ficar onze meses sem cuidado oficial, a Cinemateca Brasileira passou a ser responsabilidade do governo federal em 23 de novembro de 2020, quando o Ministério do Turismo oficialmente incorporou a instituição e a colocou na gestão da Secretaria Especial de Cultura sob o decreto 10.548. No anúncio da reabsorção das atividades, um texto publicado no portal oficial do governo federal (gov.br) previu cuidados e manutenção:

"O objetivo é garantir a manutenção do espaço, bem como a conservação dos materiais sob a tutela da Cinemateca após o encerramento da vigência do contrato de gestão entre o Governo Federal e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (ACERP)," dizia o anúncio oficial. A Acerp cuidava da Cinemateca, sob contrato, até 31 de dezembro de 2019 - esta publicação é de 23 de novembro de 2020. O então ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, inclusive prometeu: “Vamos restabelecer a Cinemateca Brasileira, entendendo sua importância para a história e cultura brasileiras."

+++ LEIA MAIS: Kleber Mendonça Filho lamenta incêndio na Cinemateca: 'O Brasil está sem álbuns de família'

De acordo com o comunicado, a Secretaria Especial da Cultura deveria ficar à frente da Cinemateca no período de até um ano, durante o qual trataria de publicar "um edital de seleção da Organização Social que vai gerir o órgão." No período intermediário, houve um embate do Ministério do Turismo com o Ministério Público Federal, que chamava atenção para negligência física da Cinemateca, e pedia ações de urgência. Avisaram, inclusive, mais de uma vez sobre os riscos de incêndio nos acervos.

Em 29 de julho deste ano, um galpão de acervo da Cinemateca na Vila Leopoldina, São Paulo, pegou fogo e quatro toneladas de arquivos queimaram. No dia seguinte, o edital de chamamento - esperado desde novembro de 2020 - foi publicado. A previsão é ter uma resposta prévia de qual órgão cuidará da Cinemateca no final de outubro de 2021

+++ LEIA MAIS: Martin Scorsese cobra governo brasileiro para salvar Cinemateca: ‘Artes são necessidade’