Ataques de Bolsonaro ao STF é ‘coisa do passado’, diz Temer

Em entrevista, o ex-presidente Michel temer disse acreditar que, após a publicação da Declaração à Nação, Bolsonaro não fará mais ataques ao STF

Redação Publicado em 10/09/2021, às 10h39

None
Montagem de Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Bilo / Estadão Conteúdo / Agência Estado / AP Images) e Michel Temer (Foto: Mario Tama/Getty Images)

Após as ameaças de golpe de Jair Bolsonaro (sem partido) nos atos de 7 de setembro, Michel Temer (MDB) ajudou o presidente a redigir uma carta pacificadora — e acredita que os ataques do atual chefe de Estado aos demais Poderes ficaram “no passado”.

Temer e Bolsonaro se encontraram em Brasília na quinta, 9, para discutir a atual crise institucional e redigir o texto, nomeado “Declaração à Nação”. Segundo o ex-presidente, após a publicação da carta, novos ataques do chefe de Estado não devem mais acontecer.

+++LEIA MAIS: Bolsonaristas falam em 'estado de sítio' que não ocorreu; assista aos vídeos

Em entrevista à CNN, Michel Temer afirmou: “Aquelas frases do tipo ‘não vou cumprir decisão judicial’, eu acho que a partir de hoje, pelo menos tive muito fortemente essa sensação na conversa muito objetiva que o presidente Bolsonaro teve comigo, eu sinto que isto é coisa do passado. Quando se diz, ‘olha, vamos contar o tempo a partir daqui’, é porque ele vai pautar-se por esse documento, por essa declaração que lançou no dia de hoje.”

Além de ajudar a redigir a nota, Temer intermediou uma conversa telefônica entre Jair Bolsonaro e o ministro do STF Alexandre de Moraes, alvo frequente de ameaças por parte do presidente, conforme noticiado pela Folha de S. Paulo.

+++LEIA MAIS: Marcelo Adnet imita Bolsonaro em áudio e manda caminhoneiros dançarem 'Macarena'; ouça

Ao falar sobre a carta, Temer afirmou que se trata de um compromisso de Bolsonaro: "Ao meu modo de ver, este documento [nota] que tivemos oportunidade de sugerir, colaborar, é um documento que revela um compromisso dele com a Constituição, com a harmonia entre os Poderes. Faz até uma referência ao ministro Alexandre de Moraes, em face de falas que ele teve durante aquele encontro na Paulista," disse à CNN.

Carta publicada por Bolsonaro

Divulgada na quinta, 9, a carta publicada por Jair Bolsonaro (sem partido) tem um tom diferente do utilizado pelo presidente em declarações. Nos últimos meses, o chefe de Estado fez vários ataques ao STF e xingamentos a alguns ministros da Corte.

+++LEIA MAIS: Lula diz que Bolsonaro está 'mais para Hitler e Mussolini' do que para direita; entenda

No texto publicado quinta, contudo, Bolsonaro afirma: "Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar."

O presidente também diz na carta: "Essas questões [embates com o STF] devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no artigo 5º da Constituição Federal."

+++LEIA MAIS: Bolsonaro estimula armas à população: 'Tem que todo mundo comprar fuzil'