Bandeira ligada a supremacia branca nos EUA é hasteada em evento em Petrópolis

Bandeira símbolo da supremacia branca e nos EUA foi exposta em feira de cervejas na sexta, 11 de fevereiro

Redação Publicado em 14/02/2022, às 16h14

None
Norte-americano com bandeira dos Estados Confederados no Congresso dos Estados Unidos (Foto: Reprodução / Twitter)

A bandeira dos Estados Confederados da América — símbolo norte-americano do Século XIX em defesa da manutenção da escravidão — foi hasteada em evento de cerveja em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro na última sexta, 11 de fevereiro. De acordo com informações do G1, os organizadores não sabiam do significado da bandeira até depois de sua exposição.

A polêmica se espalhou, pois a bandeira dos Estados Confederados é vista como símbolo de grupos racistas e supremacistas brancos ao redor do mundo. No Século XIX, durante a Guerra de Secessão ou Guerra Civil norte-americana, era usada pelos estados do sul dos EUA, que defendiam a escravidão.

bandeira supremacia branca feira deguste
Bandeira dos Estados Confederados na Feira Deguste (Foto: Reprodução / Twitter)

 

+++LEIA MAIS: Chadwick Boseman rejeitou papel em filme sobre escravidão: ‘Não quero perpetuar estereótipos’

A Feira Deguste, responsável pelo evento de cervejas, explicou em publicação no Instagram como o expositor que apresentou a bandeira participava da convenção pela primeira vez e somente no final da noite tomaram conhecimento do significado. Em seguida, justificaram dizendo que o símbolo não é conhecido no Brasil como apropriado por movimentos supremacistas brancos e é um "nicho ideológico lastimável." Confira abaixo:

Nunca houve e jamais haverá a promoção de ideologias de quaisquer natureza que entrem em conflito com o respeito à diversidade e à pluralidade humanas, ao contrário disso, a exposição de diferentes empresas sempre teve como intuito superior promover os produtores e artistas locais e fortalecer o comércio e a cena cultural.
 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Deguste (@feiradeguste)

 

Ainda segundo o G1, o prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, emitiu um comunicado nas redes sociais em que lamenta a situação, exige providências dos organizadores do evento e repudia manifestações racistas. "Petrópolis diz não à intolerância! Minha eleição e o nosso governo representam o combate a todo tipo de intolerância, seja ela religiosa, racial, por gênero, orientação sexual ou discriminação de classe ou qualquer ato que possa ferir os direitos humanos," disse.

+++LEIA MAIS: Trabalho análogo à escravidão, desmatamento insustentável e caça a animais em extinção: o caos na Caatinga do Piauí