Bolsonaro convoca 'contragolpe' em mensagem no WhatsApp, diz site

Segundo o site Metrópoles, o presidente Bolsonaro usou o WhastApp para convocar ministros, apoiadores e amigos para se manifestarem

Redação Publicado em 16/08/2021, às 10h16

None
Jair Bolsonaro olha para o lado com a mão para frente (Foto: Gabriela Bilo / Estadão Conteúdo / Agência Estado / AP Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) encaminhou mensagem no sábado, 14 de agosto, em que fala sobre a necessidade de um “contragolpe”. Segundo reportagem da coluna de Guilherme Amado no Metrópoles, o texto foi enviado para uma lista de transmissão no WhatsApp e convoca apoiadores, ministros e amigos para se manifestarem em 7 de setembro.

Enviada do número pessoal do presidente, a mensagem é assinada pelo grupo de Facebook chamado “Ativistas direitas volver”, e pede para pessoas de direita não criticarem Jair Bolsonaro:

+++LEIA MAIS: Lula acredita que Bolsonaro não tem força para dar golpe militar, diz jornal

“Atenção direitista sem noção, você mesmo que está falando me*** como ‘Vamos tomar o poder já que ninguém faz nada’, ‘Bolsonaro tá muito devagar’ ou ‘FFAA não fazem nada’. Faça o favor de ler com atenção o abaixo escrito, compreender as coisas como realmente são e assim passar a nos ajudar e não atrapalhar, começa o texto, que apresenta na sequência uma série desses comentários,” afirma a mensagem, segundo reportagem do site Metrópoles.

A manifestação convocada para dia 7 de setembro é tratada com importância durante o texto, que fala sobre a necessidade de um “contingente absurdamente gigante” na ação. O objetivo seria “comprovar e apoiar inclusive intencionalmente” que Bolsonaro, em conjunto com as Forças Armadas, têm o apoio para realizar um “bastante provável e necessário contragolpe”.

+++LEIA MAIS: ‘Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições’, ameaça Bolsonaro

Um trecho da mensagem diz: “Hoje, fazer um contragolpe é muito mais difícil e delicado do que naquela época, além do grave aparelhamento acima relatado, temos uma constituição comunista que tirou em grande parte os poderes do Presidente da República e foi por estes motivos que o Presidente Bolsonaro, no início de agosto, em vídeo gravado, pediu para que o povo brasileiro fosse mais uma vez às ruas, na Avenida Paulista, no dia sete de setembro, dar o último aviso, mas, desta vez, ele reforçou que o ‘contingente’ deveria ser absurdamente gigante.”

O texto continua, afirmando que a manifestação será “a maior já vista na história do Brasil” para mostrar a mobilização contra um suposto “golpe” do Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta instância do Poder Judiciário:

+++LEIA MAIS: Desfile militar foi organizado para intimidar Judiciário, admitem assessores de Bolsonaro

“O tamanho desta manifestação deverá ser o maior já visto na história do país, a ponto de comprovar e apoiar, inclusive internacionalmente, para que dê a ele e às FFAA, para que, em caso de um bastante provável e necessário contragolpe que terão que implementar em breve, diante do grave avanço do golpe já em curso há tempos e que agora avança de forma muito mais agressiva, perpetrado pelo Poder Judiciário, esquerda e todo um aparato, inclusive internacional, de interesses escusos”, prossegue.

A mensagem completa pode ser conferida na imagem abaixo, divulgada pelo site Metrópoles em reportagem.

+++LEIA MAIS: 'Bolsonaro não é Fidel, Chaves ou Kim', diz Flávio Bolsonaro sobre desfile militar


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!