Bolsonaro espera ‘norte do povo’ para agir: ‘Sou leal aos brasileiros’

Em entrevista nesta terça, 17, Jair Bolsonaro também voltou a atacar o ministro do STF Alexandre de Moraes

Redação Publicado em 17/08/2021, às 14h14

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Jair Bolsonaro voltou a falar sobre o pedido de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso nesta terça, 17. Em entrevista à Rádio Capital Notícia (MT) o presidente também afirmou que “povo tem que dar o norte” do que será feito.

Conforme divulgado pelo UOL, Bolsonaro comentou sobre as manifestações convocadas em 7 de setembro a favor do presidente. Segundo o chefe do Estado, os atos serão em "defesa da democracia, da liberdade e contra a intransigência de alguns ministros na seara de outro poder".

+++LEIA MAIS: Bolsonaro convoca 'contragolpe' em mensagem no WhatsApp, diz site

O presidente ainda acusou o Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de agirem fora da Constituição: "Continuamos dentro das quatro linhas [da Constituição], do lado de lá já saíram das quatro linhas, em alguns momentos já saíram. A gente espera que voltem para normalidade, porque ninguém quer uma ruptura. Uma ruptura tem problemas internos e externos. O mundo pode levantar barreiras comerciais com a gente, causar um caos aqui dentro. Tenho que agir dentro das 4 linhas, apesar de alguns como Alexandre de Moraes e [Luis Felipe] Salomão do TSE estarem fora das 4 linhas."

Bolsonaro continuou: "Agora, onde é o limite disso? Sou leal ao povo brasileiro, que vai estar na rua dia 7 de setembro. Tenho evento em Brasília. Não falei se vou participar ou não no evento de Brasília, ou de São Paulo, sou presidente e posso participar. O povo é que tem que nos dar o norte do que devemos fazer."

+++LEIA MAIS: ‘Acho difícil o Senado aceitar’, diz Mourão sobre impeachment de ministros

Além de comentar sobre os atos convocados para 7 de setembro, Bolsonaro criticou o corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luis Felipe Salomão. O ministro determinou na segunda, 16, o fim dos repasses monetários a perfis e canais investigados pela disseminação de fake news.

“Não pode um ministro, no caso do Alexandre Moraes, ele mesmo abre um inquérito, investiga, julga e prende, não tem nem a participação do Ministério Público. Ele abriu um inquérito de fake news sobre minha pessoa, sem ouvir o MP, vai fazer diligência, busca e apreensão na minha casa? Vai me sancionar nas redes sociais por um acaso? Será que vai chegar a esse ponto?”, questionou o presidente.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro 'agride, desrespeita e não governa o país', diz Lula

Em seguida, afirmou: "Ele está fazendo barbaridade juntamente com o ministro do TSE, Salomão, que numa canetada mandou desmonetizar certas páginas de pessoas que tem criticado a falta de mais transparência por ocasião do voto."


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!