Bolsonaro estimula armas à população: 'Tem que todo mundo comprar fuzil'

Em meio à crise institucional e tensão entre poderes, o presidente estimulou que a população se arme com fuzil

Redação Publicado em 27/08/2021, às 12h47

None
Bolsonaro em evento realizado em junho de 2021 (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a estimular armas à população nesta sexta, 27. A declaração ocorre em meio à crise institucional no Brasil, assim como à tensão entre os três poderes — causada, principalmente, por ataques do presidente ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Segundo a Folha de S. Paulo, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada nesta sexta, 27, Jair Bolsonaro estimulou o armamento da população brasileira, pauta por ele defendida desde à campanha eleitoral para as eleições de 2018.

+++LEIA MAIS: Governo Bolsonaro celebra Dia do Agricultor com foto de homem armado

"Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Povo armado jamais será escravizado." afirmou o presidente Jair Bolsonaro. Em seguida, o chefe de Estado ironizou quem se opõe ao armamento da população:

"Eu sei que custa caro. Daí tem um idiota que diz 'ah, tem que comprar feijão'. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar," afirmou o presidente em conversa com apoiadores. Nas redes sociais, Bolsonaro também incentiva o armamento, como em publicação realizada na terça, 24:

+++LEIA MAIS: Lula acredita que Bolsonaro não tem força para dar golpe militar, diz jornal

Ataques de Bolsonaro

A defesa ao armamento da população acontece em um momento crítico em que se intensifica uma crise política e institucional, assim como uma tensão entre os três poderes do governo federal.

Nos últimos meses, Bolsonaro fez diversas declarações em que questionou a legitimidade das urnas eletrônicas, e chegou a afirmar que se as eleições de 2022 não adotassem o voto impresso, poderia não haver a votação.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro diz que eleições de 2022 não serão confiáveis: 'Querem eleger na fraude'

Além disso, Bolsonaro e apoiadores convocam o que chamam de “contragolpe” para 7 de setembro. No dia, ocorrerão diversos atos pró-governo e contrários ao STF (Supremo Tribunal Federal) e TSE (Tribunal Superior Eleitoral).


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!