Bolsonaro justifica publicação de nota: ‘Até o momento não errei’

Em conversa com apoiadores, Jair Bolsonaro negou recuo em nota publicada à população na quinta, 9

Redação Publicado em 10/09/2021, às 16h01

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu diversas críticas desde que publicou uma nota em que esfria os ataques ao STF (Supremo Tribunal Federal) na quinta, 9. Em conversa com apoiadores, o presidente negou recuo, e justificou a publicação do texto ao afirmar que jamais cometeu erro no governo.

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o presidente respondeu à pressão de apoiadores, que, segundo ele, querem que Bolsonaro "vá lá e degole todo mundo". De acordo com declaração do chefe de Estado, a mudança no Brasil precisa ser gradual.

+++LEIA MAIS: Recuo de Bolsonaro desorientou apoiadores nas redes sociais, dizem dados

Durante fala a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada nesta sexta, 10, Bolsonaro explicou: "Alguns querem que vá lá e degole todo mundo. Hoje em dia não existe país isolado, todo mundo está integrado ao mundo."

Em “Declaração à Nação”, carta divulgada na quinta, 9, o presidente afirmou que não teve a intenção de “agredir” os Poderes durante as falas dos atos pró-governo de 7 de Setembro, Dia da Independência. 

+++LEIA MAIS: Bolsonaro responde cobranças para manter ataques ao STF: 'Deixa acalmar'

A nota foi redigida com a ajuda do ex-presidente Michel Temer, quem se encontrou com Jair Bolsonaro horas antes da publicação. Ao conversar com apoiadores, o chefe de Estado disse que não pode contar sobre as conversas que levaram a elaboração do texto: "Tem coisas que não posso falar com você. Tem certas coisas que você confia ou não confia. Posso um dia errar. Até o momento não errei."

Ao comentar sobre a paralisação dos caminhoneiros, que acontece desde os atos de 7 de setembro, Bolsonaro afirmou que as manifestações não podem passar de domingo devido às consequências “gravíssimas” para o país:

+++LEIA MAIS: Ataques de Bolsonaro ao STF é ‘coisa do passado’, diz Temer

"As consequências de uma paralisação são gravíssimas para todo mundo. Você quando quer, por exemplo, matar berne e mata a vaca. Até domingo, se o pessoal ficar parado, vai sentir, vai ter reflexo, mas se passar disso, complica a economia do Brasil. Ninguém está recuando. Não pode ir pro tudo ou nada. Arrumar o Brasil devagar. Vai arrumando," disse o presidente. 

A declaração do presidente Jair Bolsonaro a apoiadores nesta sexta, 10, foi filmada e transmitida pelo canal bolsonarista de YouTube Foco do Brasil. O vídeo pode ser conferido abaixo:

+++LEIA MAIS: Greve dos Caminhoneiros: Bolsonaro pede liberação das estradas, mas paralisação continua