Bolsonaro volta a atacar o STF: 'Isso é ditadura'

Em visita ao Cuiabá nesta quinta, 19, Bolsonaro fez críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF)

Redação Publicado em 19/08/2021, às 17h31 - Atualizado em 20/08/2021, às 12h38

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta, 19. Segundo o presidente, a entidade máxima do Poder Jurídico tomou medidas que lembram a ditadura.

Conforme noticiado pela Folha, o presidente desembarcou em Cuiabá nesta quinta, 19, para participar da entrega de equipamentos agrícolas a comunidades indígenas do estado. Durante discurso, Bolsonaro fez novos ataques ao citar inquéritos abertos contra ele na corte e no TSE:

+++LEIA MAIS: Bolsonaro convoca 'contragolpe' em mensagem no WhatsApp, diz site

"Não se pode abrir um processo contra o presidente da República sem ouvir o Ministério Público, isso é ditadura. Quem age dessa maneira não é digno de estar dentro daquela corte. Me submeto sem problemas a qualquer processo legal, já estipularam até pena para mim por ser contra atualmente à maneira de se fazer eleições," disse.

Apesar dos ataques, Bolsonaro afirmou estar aberto ao diálogo para quem quiser conversar, inclusive os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, além de Luis Felipe Salomão, corregedor-geral da Justiça Eleitoral.

+++LEIA MAIS: ‘Acho difícil o Senado aceitar’, diz Mourão sobre impeachment de ministros

O presidente declarou: "Vamos chegar num acordo. Toda vez que há um problema, mexe no dólar, mexe no preço do combustível, tem inflação, tem dor de cabeça para o povo todo, em especial o mais pobre e humilde, é pedir muito o diálogo? Da minha parte nunca vou fechar as portas para ninguém."

Durante o evento, Bolsonaro também criticou a decisão do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) em acabar com repasses financeiros para canais bolsonaristas investigados por divulgarem fake news sobre o sistema eleitoral.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro espera ‘norte do povo’ para agir: ‘Sou leal aos brasileiros’

"Daqui a pouco os TREs [Tribunais Regionais Eleitorais] vão fazer a mesma coisa. O TRE, que é mais ligado com governadores, vai perseguir aqueles que apoiam ou têm uma visão diferente da candidatura daquele governador", disse o presidente.


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!