Bolsonaro volta a atacar governadores por atuação na pandemia: 'Desemprego subiu assustadoramente'

Enquanto governadores querem diálogo, o presidente voltou a atacar os políticos por medidas restritivas no combate à pandemia de covid-19

Redação Publicado em 24/08/2021, às 16h39

None
Bolsonaro de máscara olha para o lado (Foto: Andre Coelho/Getty Images)

Um dia após diversos governadores pedirem encontro com Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente voltou a atacar a atuação dos governos estaduais durante a pandemia de covid-19 no Brasil.

Segundo reportagem do O Globo, o presidente afirmou que ações dos governadores, como medidas de restrição à circulação da população dos estados, levou desemprego a “subir assustadoramente”

+++LEIA MAIS: Governadores se reúnem para debater defesa da democracia após ataques de Bolsonaro

Em entrevista à Rádio Farol, de Alagoas, Bolsonaro argumentou: “A partir de março, abril, do ano passado, o Brasil todo, praticamente todos os governadores, todos, acredito que todos, lançaram a campanha do ‘fiquem em casa, a economia a gente vê depois’. E depois assistimos aquilo que eu considero um abuso, que foram as medidas de lockdown, confinamento, toque de recolher. Onde o desemprego subiu assustadoramente em abril.”

Durante a declaração, o presidente também tocou no assunto do gás de cozinha, que enfrenta alta de preços. Recentemente, Bolsonaro falou em “trabalho comunitário” para baixar o valor do botijão — e agora argumenta que governadores devem zerar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). No entanto, segundo explicado pelo Globo, o imposto é a principal fonte de renda dos estados.

+++LEIA MAIS: Governadores assinam carta em solidariedade ao STF contra ameaças de Bolsonaro

“O governo federal, eu fiz a minha parte. Zerei o imposto do gás. Falta agora o governador de Alagoas, e de outros estados, zerar também o imposto estadual, que chama ICMS, do gás de cozinha. É a mesma coisa a questão do combustível,” continuou o presidente.

As falas de Jair Bolsonaro ocorreram um dia após a realização do Fórum de Governadores na segunda, 23. Após a reunião, os políticos anunciaram que tentariam encontro com o presidente, e esperavam ser recebidos por ele.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro culpa governadores por alta na inflação: 'Política de fique em casa e economia vemos depois’


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!