Fake news da ivermectina contra covid chega nos EUA e mídia alerta: 'Você não é um cavalo'

Em meio à alta de casos de covid-19 nos EUA, diversos cidadãos tomaram o remédio sem eficácia comprovada contra a doença

Redação Publicado em 23/08/2021, às 16h19

None
Caixas de ivermectina (Foto: CNN/ Divulgação/Prefeitura de Itajaí)

A pandemia de covid-19 está avançando nos Estados Unidos, onde a vacinação enfrenta resistência por parte da população. Enquanto os casos sobem no país, as fake news sobre a ivermectina levaram diversos cidadãos a tomar o remédio sem eficácia comprovada — e a mídia local alerta: “Você não é um cavalo”.

No Brasil, a ivermectina, defendida por Jair Bolsonaro (sem partido) foi incluída no chamado “tratamento precoce” (ou kit-covid) para tratar o vírus, mesmo sem eficácia comprovada contra a doença. No entanto, o remédio usado nos Estados Unidos é uma versão do medicamento para animais, adquirido principalmente em lojas de suprimentos para gado.

+++LEIA MAIS: Todo o mal que o kit-Covid pode te causar: Ivermectina, hidroxicloroquina e azitromicina não são eficazes para prevenir vírus

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) usou as redes sociais no sábado, 21, para alertar sobre o uso da ivermectina. No twitter, o órgão escreveu: "Você não é um cavalo. Você não é uma vaca. Sério, pessoal, parem com isso."

Além da mensagem escrita, a agência compartilhou um link de uma matéria em que se explica os vários motivos para não tomar a ivermectina (versão animal ou humana) no combate à covid-19.

+++LEIA MAIS: ‘Ivermectina mata bichas’, diz Bolsonaro sobre tratamento precoce contra Covid-19

O tuíte da agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos foi compartilhado por diversos veículos de imprensa no país, na tentativa de barrar as fake news. Rolling Stone EUA, New York Times, New York Post e outras plataformas de notícia alertaram para a ineficácia do remédio.

A FDA fez a publicação após um alerta publicado pelo Departamento de Saúde do Estado do Mississípi realizado após o Centro de Controle de Envenenamento receber diversas ligações de pessoas que tomaram o medicamento. Segundo reportagem do G1, 70% dos telefonemas informaram que ingeriram a versão do remédio voltada para uso animal.

+++LEIA MAIS: Como a Covid-19 afeta o cérebro? Neurologistas respondem

O alerta ainda relatou que 85% das pessoas que ligaram apresentaram sintomas leves, e apenas uma foi instruída a buscar avaliação médica após informar uma grande quantidade de ivermectina ingerida.

Conforme noticiado pelo G1, a FDA afirmou em maio de 2021 que a da ivermectina é altamente concentrada por ser utilizada em animais de grande porte, como cavalos e vacas. Por isso, podem ser “altamente tóxicas em humanos”.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro volta a atacar vacina Coronavac: ‘Não tem comprovação científica’


+++ CONFIRA TUDO SOBRE A BANDA 5 SECONDS OF SUMMER!