Halsey, Green Day, Olivia Rodrigo e Billie Eilish; confira todos os artistas que se manifestaram a favor do aborto nos EUA [LISTA]

A Suprema Corte dos EUA revogou a lei que permitia o direito ao aborto no país; Halsey, Billie Eilish e Olivia Rodrigo se posicionaram contra a decisão, confira os demais artistas que também se manifestaram

Redação Publicado em 28/06/2022, às 12h27

None
Billie Eilish. (Foto: Getty Images)

Na última sexta-feira, 24, a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a decisão de Roe v. Wade, lei federal que garantia o aborto nos EUA. Foram seis votos de juízes favoráveis e três contrários. 

Agora, o direito ao aborto será determinado individualmente por cada estado, e nove deles consideram  prática como crime. Com isso, uma série de artistas se manifestaram contra a decisão. Alguns, durante o festival Glastonbury, na Inglaterra com aproximadamente 200 mil pessoas (viaVariety). Outros em seus shows individuais.

+++LEIA MAIS: Selena Gomez pede posicionamento de homens em Hollywood sobre aborto

Kendrick Lamar, Olivia Rodrigo e Billie Eilish estão entre os nomes que se posicionaram. Confira abaixo todos os artistas que fizeram declarações contra a decisão da Suprema Corte.



Kendrick Lamar 

Kendrick Lamar foi uma das últimas atrações a se apresentar no festival Glastonbury . O rapper encerrou sua apresentação com a música “Savior”. Usando uma coroa de espinhos e sangue escorrendo no rosto, o rapper declarou:

" ‘Savior’ é a minha faixa favorita do álbum. É o verdadeiro significado da imperfeição. Eu uso esta coroa como uma representação pra que você nunca se esqueça de um dos maiores profetas que já andou nesta terra. Eles te julgam e eles julgaram Cristo. Deus permita os direitos das mulheres,” disse o rapper diversas vezes antes de encerrar o show repentinamente.

+++LEIA MAIS: Geração Z está ‘cancelando’ Elvis no TikTok; entenda

Confira abaixo a performance do artista:


Olivia Rodrigo e Lily Allen

Olivia Rodrigo fez um cover “Fuck You” ao lado de Lily Allen. As duas dedicaram a canção aos cinco juízes responsáveis pela revogação do Roe v. Wade, mencionando o nome de cada um deles. 

“Eu queria dedicar a próxima música aos cinco membros da Suprema Corte que nos mostraram que, no final das contas, eles realmente não dão a mínima para a liberdade. Esta música vai para os juízes: Samuel Alito, Clarence Thomas, Neil Gorsuch, Amy Coney Barrett, Brett Kavanaugh. Nós odiamos vocês!" disse Olivia Rodrigo durante o show.


A faixa “Fuck You” de Lily Allen, foi originalmente inspirada em partidos políticos ultraconservadores que lideravam os EUA e o Reino Unido na época em que foi escrita.


Billie Eilish 

Billie Eilish também abordou a revogação antes de apresentar “Your Power” durante seu show na sexta-feira, em Glastonbury.

“A música que estamos prestes a cantar, é uma das favoritas que escrevemos e é sobre o conceito de poder e como precisamos sempre lembrar como não abusar disso. E hoje é um dia muito, muito sombrio para as mulheres nos EUA. Só vou dizer isso, pois não consigo mais pensar nisso agora.” disse Eilish.

Billie Joe

Billie Joe Armstrong, vocalista do Green Day, disse durante um show em Londres que vai renunciar à sua cidadania americana devido à decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos.

“F***-se a América. Estou renunciando a minha cidadania. Há muita estupidez no mundo pra voltar a esse país miserável. Ah, não estou brincando, vocês vão me ver muito nos próximos dias.” disse.

O Green Day se apresentou  na última sexta-feira, 24, e a declaração foi recebida com aplausos. O grupo tocava no London Stadium, durante sua turnê com Fall Out Boy e Weezer.


Pink

Em publicação no Twitter, Pink pediu para que os opositores da lei “nunca mais escutem a música dela novamente.”

“Vamos deixar isso claro: se você acredita que está tudo bem o governo controlar o útero de uma mulher, negócios ou casamento de uma pessoa gay e que racismo é okay – POR FAVOR EM NOME DO SENHOR NUNCA MAIS ESCUTE A P**RA DA MINHA MÚSICA DE NOVO. E TAMBÉM VÁ SE-F*DER. Estamos entendidos?,” escreveu Pink no último sábado, 25.

Em seguida, ela respondeu a outros tweets com comentários da sua publicação. “Espero que o agente dela sobreviva a isso,” escreveu um usuário. Pink respondeu: “Eu sou minha agente. Estamos bem.”

+++LEIA MAIS: Elba Ramalho rebate manifestações políticas em show: 'isso é São João, não é um comício'


Cyndi Lauper

Após a decisão da Suprema Corte, Cyndi Lauper lançou uma regravação da música “Sally’s Pigeons” de 1993, considerada o hino do aborto. Em uma série de tweets sobre o lançamento da faixa, Lauper escreveu:

 “Na minha infância, mulheres não tinham liberdade de reprodução, e 50 anos depois nos encontramos em um túnel do tempo onde a liberdade de controlar nossos corpos foi retirada.”

+++LEIA MAIS: Rita Lee faz rara aparição no Instagram com cabelos curtos após tratamento contra câncer

Lauper finalizou: “A liberdade para as mulheres, infelizmente agora tem um preço alto. Se não tivermos controle sobre nossos próprios corpos, não teremos liberdade verdadeira. Somos cidadãs de segunda classe. Precisamos nos mobilizar. Precisamos deixar nossas vozes serem ouvidas.”

A canção “Sally’s Pigeons” foi inspirada por uma amiga de infância da cantora, que ficou grávida na adolescência e procurou por um aborto em uma clínica clandestina. A jovem não sobreviveu ao procedimento e, desde então, Lauper sempre se mostrou a favor das escolhas das mulheres.

Ouça a regravação:


Halsey

Durante seu recente show em Phoenix, Halsey incentivou os fãs a se posicionarem, fazendo um discurso poderoso.

“Isso está acontecendo há muito tempo. Sei que queremos ficar em casa e queremos esperar que algum revolucionário apareça, mas ninguém está vindo, faça a diferença. Cabe a cada um de vocês, a mim, a cada pessoa fazer a nossa parte para proteger a autonomia e integridade corporal. Para proteger a privacidade médica.”

+++LEIA MAIS: Tommy Lee, do Mötley Crüe, interrompe show por quebrar costelas

Recebendo uma enxurrada de aplausos da multidão, Halsey continuou com um cântico, gritando “meu corpo” e estimulando o público a responder com “minha escolha”.