Ministério da Saúde admite 9,5 milhões de vacinas paradas em centro de distribuição

Segundo informações da GloboNews, vacinas da Coronavac e Pfizer contra a Covid-19 estão em centro de distribuição de Guarulhos, São Paulo

Redação Publicado em 12/08/2021, às 17h33

None
Vacinação contra a Covid-19 (Foto: David Greedy / Getty Images)

O Ministério da Saúde admitiu nesta quinta, 12, que tem 9,5 milhões de vacinas contra covid-19 da Pfizer e Coronavac paradas em centro de distribuição em Guarulhos, no estado de São Paulo.

Segundo a GloboNews, o Ministério afirmou que o envio de 3,6 milhões de doses será realizado ainda nesta quinta, 12. Portanto, no final de semana, os imunizantes devem chegar aos estados. Para o envio, serão realizados aviões de cada estado, já que são responsáveis pela distribuição nos municípios.

+++LEIA MAIS: Queiroga quer 'tirar de uma vez por todas essas máscaras' até fim de 2021

O restante de imunizantes parados no centro de distribuição do Ministério da Saúde —  5,9 milhões — ainda não tem data de entrega definida. As vacinas aguardam liberação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade e da Anvisa.

Demora do Ministério da Saúde na entrega de vacinas

Devido ao atraso no envio de imunizantes, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), suspendeu a vacinação na quarta, 11, e quinta, 12. Mais doses estarão disponíveis apenas sexta, 13 de agosto, quando a imunização será retomada.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro ironiza reinfecção de Doria por Covid-19: 'Máscara, talquinho no bumbum e reinfectado'

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) também reclamou por receber menos doses do que o planejado. O político, inclusive, disse que acionaria a Justiça devido ao menor número de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde.

No dia 4 de agosto, Doria afirmou: que foi uma “decisão arbitrária” da pasta: “Com menos vacinas do que o prometido, o Ministério da Saúde compromete o calendário de vacinação de crianças e adolescentes no Estado de São Paulo, previsto começar em 18 de agosto,” disse na época. Apesar de afirmar que o ministro da Saúde descumpriu promessa, o governador não alterou o calendário de imunização.


+++ FIUK: 'TENHO ROCK NA VEIA DESDE CRIANÇA' | ENTREVISTA | RS