Tiroteio na Rússia: Atirador mata 6 pessoas e fere mais de 20 em universidade; entenda

O aluno da Universidade de Perm tinha 18 anos e abriu fogo contra colegas na manhã desta segunda, 20

Redação Publicado em 20/09/2021, às 11h52

None
Estudantes pulam das janelas para escapar de tiroteio em universidade da Rússia (Foto:Divulgação / Vídeo / Twitter / BreakingIEN)

Ao menos seis pessoas morreram e 24 pessoas ficaram feridas após um estudante de 18 anos abrir fogo contra colegas e funcionários da Universidade de Perm, na Rússia, nesta segunda, 20 de setembro. Segundo autoridades, o crime não teve motivação política ou religiosa.

Segundo reportagem do O Globo, a ocorrência foi registrada às 11h (horário local). No momento que o tiroteio começou, alunos e professores correram para tentar se proteger e alguns pularam das janelas do prédio da universidade para escapar dos tiros.

+++LEIA MAIS: A noite em que um tiroteio marcou a estreia de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge [FLASHBACK]

Em entrevista à BBC, o professor Ivan Pechishchev explicou que viu alunos e professores correndo ou pulando de janelas enquanto se encaminhava para a aula: “Eles pularam horrorizados, gritando. Um dos alunos me disse que era um tiroteio. Eu ouvi o barulho, todos começaram a correr em direções diferentes. Fui até meus alunos no segundo prédio e continuei ouvindo os disparos,” disse.

Segundo o Comitê de Investigação russo, órgão estadual que lida com crimes graves, o estudante de 18 anos adquiriu a arma do ataque em maio de 2021, e inclusive teria publicado uma foto com o rifle de caça horas antes de abrir fogo.

+++LEIA MAIS: Homenagem a George Floyd é interrompida por tiroteio ao vivo na TV

Em um perfil de rede social, em uma publicação posteriormente derrubada, o estudante teria afirmado não se tratar de algo motivado por religião ou política: "Eu pensei muito nisso por bastante tempo, há anos, e percebi que havia chegado a hora de fazer o que eu sonhava."

Após o ataque, o suspeito foi preso e ferido ao resistir aos policiais, segundo afirmou o Comitê. Segundo a CNN, Valery Gribakin, porta-voz da guarda nacional russa, disse à agência de notícias do país, TASS, que o suspeito possuía uma arma de caça obtida legalmente.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro estimula armas à população: 'Tem que todo mundo comprar fuzil'

O tiroteio desta segunda, 20, foi o segundo em um estabelecimento educacional em apenas quatro meses na Rússia. Em maio de 2021, sete crianças foram mortas e 16 ficaram feridas quando um homem armado invadiu uma escola em Kazan.