Pulse

7 motivos para não perder o show do Panic! At The disco no Rock in Rio 2019

A banda se apresenta no dia 3 de outubro no palco Mundo com cara nova e repertório diverso

Camilla Millan Publicado em 14/09/2019, às 16h00

None
Brendon Urie, do Panic! at the Disco (Foto: Chris Pizzello / Invision / AP)

Com seis discos gravados em estúdio e parcerias fora da caixinha, o Panic! at the Disco  está de volta para uma terceira passagem pelo Brasil. O grupo é atração do Rock In Rio 2019 na quinta-feira, dia 3 de outubro.

Formada em 2004, a banda continua fazendo sucesso - embora não esteja mais no ápice, como ocorreu no final da primeira década do século. Mas eles têm mostrado uma capacidade enorme de reinvenção, saindo de "I Write Sins not Tragedies" à parceria "Me!", com Taylor Swift, mais recente.

No fim das contas, em 2019, são essas transformações, mais especificamente de Brendon Urie, que fazem do Panic! uma atração interessante para se assistir no Rock in Rio. 

+++LEIA MAIS: Playlist: 17 músicas que todo emo dos anos 2000 ouviu até cansar

Urie permanece levando a banda - e seus novos membros -  adiante, e modelando o estilo musical ao seu próprio gosto. Vamos aos motivos para não perder o show do Panic! At the Disco no Rock in Rio 2019. 


É a 3ª passagem da banda no Brasil -  o primeiro show em 5 anos

Na primeira vez, em 2009, o Panic! at the Disco veio a São Paulo após um certo momento de estresse: o quarteto se tornou duo com a saída de dois integrantes no meio da gravação do 3º disco, o Vices & Virtues

A segunda apresentação da banda foi em 2014, no Circuito Banco do Brasil, e contou com shows em Belo Horizonte e Brasília.

Dessa vez, Brendon Urie e a banda se apresentarão no Rock in Rio, o maior festival do planeta, no principal palco: o Mundo. Além disso, o Panic! divide a posição de headliner do dia 3 de outubro com Red Hot Chilli Peppers, o que torna o dia ainda mais imperdível.


Nova formação

Desde o último show no país, o Panic! at the Disco só manteve Brendon Urie no vocal. A banda tem um antecedente de muitas saídas. 

Logo no início do grupo, em 2006, Brent Wilson resolveu se afastar do grupo alegando ter sido expulso por questões financeiras. Em 2009, Ryan Ross e Jon Walker divulgaram a saída do Panic! por divergências criativas. Em 2012, o baixista substituto dos outros integrantes foi rebaixado a "músico de turnê", deixando o grupo mais tarde, em 2017.

Nesse meio tempo, em 2015, o baterista Spencer Smith revelou ter ficado internado em uma clínica de reabilitação por problemas com álcool e remédios, também deixando a banda, logo em seguida.

+++LEIA MAIS: Após incidente inusitado, Panic! At the Disco não irá mais tirar foto com fãs

Brendon Urie é, portanto, o único membro oficial da banda. Mesmo após a entrada de outros integrantes, ele assume o papel principal no grupo, assumindo os vocais principais, guitarras, piano, violoncelo e violino.


Dois discos novos de estúdio 

Panic! at the Disco, desde a última apresentação no país, mudou muito, e os últimos álbuns e parcerias musicais são um reflexo dessa mudança. Totalmente diferente do estilo alternativo/emo dos primeiros discos, os últimos trabalhos trazem uma pegada bem mais pop.

As músicas "High Hopes", "Victorious", e, principalmente, "Me!", com Taylor Swift (assista ao clipe abaixo), revelam essa mudança musical da banda, tendendo ao pop ou rock pop. E essas canções, com o principal propósito de dançar, animam os show da banda, além de terem conquistado novos fãs.


Diversidade musical é importante

Como já foi dito, os álbuns da banda se modificaram muito ao longo dos anos. Mas o show não conta apenas com as últimas canções do grupo. Em uma mistura generosa de trabalhos, o Panic! at the Disco, apresenta das primeiras faixas como "I Write Sins not Tragedies"(ouça a música abaixo) às mais recentes, que incluem "Me!"e "Hey Look Ma, I Made it."

Além disso, a banda conta com canções que desviam do rotulado pop ou rock, como "Death of a Bachelor", inspirada em Frank Sinatra e descrita como soul, R&B, jazz, swing e outros. 

A diversidade musical da banda faz com que os shows sejam sempre repletos de novidades.


+++LEIA MAIS:Vocalista do Panic! at the Disco ficou chapado e escreveu música de heavy metal; ouça


Covers muito especiais

Panic! at the Disco dá um espaço especial às grandes inspirações da banda em seus shows, por meio de covers muito bem estruturados. 

Um dos exemplos é a versão de "Bohemian Rhapsody", do Queen, feita pelo Panic! at the Disco (assista abaixo).

Além disso, a lista de covers que a banda já fez em shows inclui "The Greatest Showman", parte de um álbum de vários artistas com novas interpretações para as canções do filme O Rei do Show, além de "Movin' Out (Anthony's Song)", de Billy Joel


Premiados 

Desde o último show no Brasil, o Panic! at the Disco já ganhou mais de quatro prêmios: o Vídeo do Ano (Rock Sound Readers Poll-2015) para "Emperor's New Clothes"; a Canção do Ano (Alternative Press Music Awards-2016) para "Hallelujah";  Artista do Ano (Alternative Press Music Awards-2016) e Artista Alternativo Favorito (Alternative Press Music Awards-2018). 


Presença de palco

Brendon Urie, com certeza, é a estrela da apresentação, e seus muitos gritos e improvisações na música tornam o show da banda um espetáculo. 

+++LEIA MAIS: Brendon Urie revela ritual pré-show inspirado em Dave Grohl

Além disso, Urie participou de um musical da Broadway em 2017, chamado Kinky Boots. Na peça, o cantor era o protagonista, chamado Charlie Price, que herda uma fábrica de sapatos de seu pai. Brendon atuava, cantava e dançava, muitas vezes em cima de um salto alto. 

A experiência pode ter aumentado, ainda mais, a presença do cantor nos palcos. Mas as caras e bocas e a atitude de Urie nos shows, com certeza, são anteriores à apresentação do artista no musical da Broadway.