Red Hot Chili Peppers ainda apimentados e a pluralidade musical do Pará: o que esperar do 4º dia de Rock in Rio 2019

No primeiro dia do segundo fim de semana, também sobem ao palco Mundo, o Capital Inicial, Nile Rodgers e Panic! At the Disco

Redação Publicado em 03/10/2019, às 04h00

None
Red Hot Chili Peppers (Foto:Steve Rose/MediaPunch /IPX)

Começa nesta quinta, 3, a segunda etapa do Rock in Rio 2019. Com esse início um dia antes do final de semana, o festival retorna com bastante diversidade espalhada pela Cidade do Rock.

O Palco Sunset vai receber uma variedade impressionante de misturas sonoras e culturais inesperadas que têm tudo para entrar para a história do evento: Francisco, el Hombre & Monsieur Periné, Pará Pop com Dona Onete, Fafá de Belém, Gaby Amarantos, Jaloo e Lucas Estrela, Emicida & Ibeyi e para finalizar os trabalhos Hip Hop Hurricane com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues & Rincon Sapiência.

No Palco Mundo, como era de se esperar, vai trazer mais uma vez nomes de peso da música de diversas gerações: Capital Inicial, Nile Rodgers & Chic, Panic! at the Disco e Red Hot Chili Peppers para encerrar o dia. 

36 anos de funk rock do Red Hot

O Red Hot Chili Peppers, apesar de manter ali mais ou menos uma mesma fórmula musical há anos, se mostrou sempre adepto de uma postura um tanto quanto inquieta em relação às composições de cada um dos discos, no sentido de que buscam constantemente emplacar uma nova "Californication", "Under the Bridge" ou "Can't Stop", por exemplo.

E tudo bem se essa busca pela "atualização de clássicos" é a força responsável por mover a banda para frente, pois demonstra que existe um mínimo de vontade de evitar a típica queda na cômoda mesmice dos grupos que tentam manter a fama atualmente com base em feitos passados.

Desde 1983, quando foi formado, a sonoridade do Red Hot passou por algumas mutações até chegar no que conhecemos hoje como a marca registrada deles. Boa parte da trajetória do grupo rendeu a eles clássicos absolutos, como em The Uplift Mofo Party Plan (1987), que trouxe o hit "Fight Like a Brave", e em Mother's Milk (1989), com o cover de "Higher Ground", do Stevie Wonder.

+++Leia mais - Red Hot Chili Peppers: Californication ganha edição especial de 20 anos

Mas foi a partir de Blood Sugar Sex Magik (1991), que a energia e o funk rock deles se tornou unânime, com o lançamento das faixas "Suck My Kiss", "Give It Away" e "Under the Bridge". Desse ponto em diante, a coleção de sucessos apenas cresceu. 

A sequência de álbuns Californication (1999) e By The Way (2002) alavancou o grupo de Los Angeles para o topo da lista das maiores bandas de rock. Mais recentemente, eles lançaram talvez os trabalhos que mais receberam opiniões polarizadas, pois sempre vai ter algum fã que amou The Gateway (2016), e outro que nem é mais fã da banda há anos e reclama das novas composições.

O que não dá para contestar, porém, é a magnitude da história e do impacto do Red Hot Chili Peppers na música. 


O que esperar do show do Red Hot Chili Peppers?

Se tem uma coisa pela qual o show do Red Hot é conhecido, é pela energia dos integrantes. Apesar de Anthony Kiedis, Flea e Chad Smith já terem todos passado dos 55 anos (o guitarrista Josh Klinghoffer é o único que ainda não chegou aos 40), os músicos não demonstram sinais de rendição às limitações da idade.

+++Leia mais: Red Hot Chili Peppers toca música do Radiohead nas pirâmides; assista

Quando o quarteto sobe ao palco, e, principalmente o vocalista e o baixista (conhecido pelo apelido que significa literalmente pulga) decidem pular, correr e fazer danças frenéticas, qualquer espaço fica pequeno demais para eles.

É seguro dizer que a banda vai partir de onde o Foo Fighters parou no último sábado, 28. Não no sentido de toda aquela gritaria, claro, mas da energia ligada no 220 que com certeza vai fazer o Palco Mundo tremer.


Passagens anteriores pelo Brasil

O Red Hot já fez ao todo 14 shows em território nacional. E no Rock in Rio eles já são de casa: vieram três vezes, em 2017, 2011 e 2001.

De todas essas apresentações, sete foram no Rio de Janeiro, seis em São Paulo (um deles no Lollapalooza 2018), uma em Belo Horizonte (2013) e uma em Porto Alegre (2002).


Setlist possível 

Com base nas estatísticas do último show de festival que eles fizeram (no Marina Bay Street Circuit, em Singapura, no dia 22 de setembro), é possível ver que, das 18 músicas tocadas, os covers podem ter mais espaço que qualquer outro disco da carreira deles. 

São quatro versões de faixas de outros grupos. Ao mesmo tempo, os álbuns mais presentes são By The Way, do qual eles apresentam a homônima, "Can't Stop" e "The Zephyr Song", e The Gateway, com os singles "Dark Necessities", "Go Robot" e "Goodbye Angels".

Um fato que chega a ser curioso é a presença de um total de só duas músicas do disco clássico Californication, que é repleto de hits. A tracklist conta com "Right on Time" e, claro, a própria "Californication".

Veja abaixo a tracklist completa.

Intro Jam
Can't Stop
Fortune Faded
The Zephyr Song
Dark Necessities
Strip My Mind
I Wanna Be Your Dog (cover The Stooges)
Right on Time
Snow ((Hey Oh))
Californication
Go Robot
Higher Ground (cover Stevie Wonder)
Just What I Needed (cover The Cars) (triburo ao Ric Ocasek)
Soul to Squeeze
By the Way


Encore:
Purple Rain (cover Prince) (solo de guitarra do Josh)
Goodbye Angels
Give It Away


A pluralidade sonora do Pará

Vai contecer no Palco Sunset um encontro sagrado e imperdível para qualquer amante da música brasileira e aventureiros musicais: o Pará Pop. 

Essa enorme colaboração vai ser realizada por nomes atemporais, lendários e revelações do cenário paraense. Dona Onete, cantora de carimbó, que já foi até Secretária de Cultura e Professora de História e Estudos Paraenses, lidera a festa. Fafá de Belém leva toda a história e importância da voz dela para a apresentação. Gaby Amarantos também é uma das convocadas.

E para completar essa colaboração gigante de astros e estrelas paraenses, dois nomes atuais vêm para acrescentar aquela necessária pitada de modernidade Jaloo e Lucas Estrela.

Recomendação para qualquer um que se interesse pelos diferentes estilos musicais que não são contemplados nas principais rádios ou televisões, ou pelo menos para quem tenha curiosidade de conhecer e possivelmente se encantar com esse mundo.


Que horas o Red Hot e o Pará Pop tocam?

O Red Hot Chili Peppers toca nesta quinta, no Palco Mundo, às 00h10. Antes, o espaço recebe atrações como Panic! At the Disco (22h20), Nile Rogers & Chic (20h10) e o Capital Inicial (18h).

O Pará Pop, por sua vez, toca mesmo dia, no Palco Sunset às 16h55. Antes disso, se apresentam por lá o combo Francisco, El Hombre + Monsieur Periné às 15h30.

Após o show do Pará Pop, o Sunset recebe Emicida+Ibeyi (19h05) e Hip Hop Hurricane com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues e Rincon Sapiência (21h15).


O Rock in Rio 2019 acontece no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, entre os dias 27 e 29 de setembro, e de 3 a 6 de outubro.

A Rolling Stone Brasil está no Rock in Rio 2019 a convite da Natura Musical.