Pulse

Rock in Rio 2019: Emicida e Ibeyi homenageiam Ágatha Félix em show memorável

Além de cantar os principais hits da carreira, o rapper também compartilhou o protagonismo da apresentação com a dupla franco-cubana

Igor Brunaldi Publicado em 03/10/2019, às 21h38

None
Emicida e Ibeyi (Foto: Wesley Allen/ I Hate Flash)

Shows do Emicida costumam ser sempre certeiros. E essa apresentação dele no Palco Sunset do Rock in Rio 2019, nesta quinta, 3, não foi menos que impecável.

O rapper sabe certinho quando se entregar à explosão vocal e corporal. Ele sabe também quando conter essa energia, e, dessa forma, comanda com marra, confiança e naturalidade a plateia.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Consagrados pela nostalgia, Capital Inicial reúne multidão com "Primeiros Erros"

A sonoridade orgânica é outro fator que eleva toda a potência do show. Apesar da presença de um DJ, é a banda que predomina no instrumental, sem se deixar ofuscar pelo acompanhamento sintético.

Tudo isso dito até agora, porém, são argumentos que ilustram como o Emicida é um artista que sabe fazer um show. Mas o que aconteceu ali no palco do Rock in Rio foi muito além.

+++LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Com Dona Onete, Fafá de Belém e Gaby Amarantos, Pará Pop faz uma festa de carimbó em prol da Amazônia

Acompanhado pela dupla de irmãs franco-cubanas Ibeyi, o trio apresentou para a multidão que se juntou ali uma performance memorável, na qual os três brilharam tanto separados quanto juntos.

Em determinados momentos, o MC se colocava ao fundo, como mais um integrante da banda, para entregar o protagonismo às cantoras, que foram, merecidamente, muito bem recebidas pelo público brasileiro.

+++LEIA MAIS: Red Hot Chili Peppers ainda apimentados e a pluralidade musical do Pará: o que esperar do 4º dia de Rock in Rio 2019

Em outras situações, os três harmonizavam rimas e cantos em português e espanhol, em uma mistura multicultural infalível. Cantaram com a cabeça erguida e com a certeza de que ninguém poderia fazer melhor aquilo.

E enquanto acontecia essa fusão sonora, o telão dava destaque a questões atuais que não podem ser ignoradas, como números e estatísticas chocantes referentes a assassinatos de jovens negros e LGBTQ+, além de uma linda homenagem a Ágatha Félix, menina de 8 anos morta recentemente no Complexo do Alemão.

++LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Francisco, El Hombre manda Bolsonaro tomar no c*: "porque é uma delícia"

Durante a faixa “Deathless”, das irmãs, uma foto da garota apareceu acompanhada da frase “Somos Ágatha Félix. Somos imortais.”

A escolha da setlist, por sua vez, foi responsável por duas coisas distintas que contribuíram de maneira essencial para a fluidez do show.

+++ LEIA MAIS: Bon Jovi, Foo Fighters e Jessie J: 6 artistas do Rock in Rio 2019 que fazem do mundo um lugar melhor

A primeira e mais óbvia delas foi cativar quem queria ouvir os maiores hits do Emicida. E esses com certeza não saíram decepcionados. Teve “Hoje Cedo”, “Passarinhos”, “Pantera Negra”, “A Chapa É Quente” e até a recente “AmarElo” que contou com uma aparição surpresa da cantora Majur, e estará no próximo disco de mesmo nome que o rapper deve lançar em breve.

O segundo feito que a setlist conseguiu fazer com precisão, foi apresentar as composições da dupla Ibeyi ao público do Brasil. E as escolhas mostraram o quão potente são as músicas delas. Ao longo do show, e entre as faixas do Emicida, elas apresentaram, além da já mencionada, “Me Voy” e “River”.


A Rolling Stone Brasil está no Rock in Rio 2019 a convite da Natura Musical