Pulse

Rock in Rio 2019: Karol Conka, Linn da Quebrada e Gloria Groove cantam mensagens urgentes para um Brasil intolerante

O trio aproveitou o momento para estrear ao vivo a faixa “Alavancô”, parceria entre as três artistas

Igor Brunaldi Publicado em 27/09/2019, às 19h16

None
Karol Conka no Rock in Rio 2019 (Foto: Anette Alencar/ I Hate Flash)

Karol Conka é muito mais que só música. A MC é atitude, performance, mensagem e sorriso. E ela esbanjou tudo isso no show que fez nesta sexta, 27, no Palco Sunset, na edição de 2019 do Rock in Rio.

Com um figurino todo trabalhado no vermelho e preto do Chicago Bulls (adotado também pela banda formada por um guitarrista, um DJ e uma percussionista), a cantora transitou por todo o repertório que construiu ao longo dos anos, com músicas que vão do reggae ao rap pegado.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Lellê e Blaya inauguram o festival com um baile funk recheado de clássicos

O repertório contou com o hit “Lalala”, “Tombei”, e a parceria com o rapper DjongaEstouro”, que infelizmente não compareceu.

Mas ela não deixou sua marca sozinha no festival. Para completar um trio de artistas atuais que merecem muita atenção e precisam ser ouvidas, convidou a cantora transexual Linn da Quebrada e a drag queen Gloria Groove.

+++ LEIA MAIS: Alok lança música inspirada em batidas de corações para o Rock in Rio 2019

Gloria foi a primeira das duas convidadas especiais a aparecer. Depois de ser muito bem recebida pela plateia, fez duetos com Karol nas faixas autorais “YoYo”, “Coisa Boa” e “Bumbum de Ouro”.

Se ela subiu ao palco para manter o clima de festa que estava até então, Linn chegou aos poucos, com calma, e trouxe uma atmosfera mais séria, completa por um figurino misterioso e todo vermelho que exibia apenas os olhos, a boca e o longo rabo de cavalo atrás da cabeça.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Com 69 músicos, Orquestra Sinfônica Brasileira interpreta clássicos do rock

Ela chegou com um megafone na mão, e nele, declamou sem pressa a letra da intensa “Bomba Pra Caralho”, finalizada pelo grito: “Pelo fim do genocídio da população negra. E isso não é um pedido.”

Finalmente juntas, as três cantaram “Necromancia” e “Bixa Preta”, da Linn, e também “Alavancô”, gravada por todas elas e lançada na última quarta, 25, para ser interpretada especialmente no Rock in Rio.

+++ LEIA MAIS: Rock in Rio 2019: Martinez Brothers cancela show, Vintage Culture substitui

Depois de terminar a última parte da setlist sozinha, Karol Conka deixou o palco com uma mensagem importante estampada no telão: “não ao preconceito”.


A Rolling Stone Brasil está no Rock in Rio 2019 a convite da Natura Musical