Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Jamaica bane músicas sobre drogas e violência de rádios; músicos reagem

Não é a primeira vez que a Jamaica estabelece proibição de músicas no país; entenda

Redação Publicado em 14/10/2022, às 18h47

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Jamaica bane músicas sobre drogas e violência de rádios; músicos reagem (Foto: Pexels)
Jamaica bane músicas sobre drogas e violência de rádios; músicos reagem (Foto: Pexels)

A regulação de radiofusão da Jamaica proibiu a veiculação de músicas sobre drogas e crime no país. A proibição não se aplica a plataformas de conteúdo digital e provocou uma reação instantânea de muitos dos músicos do país. 

“O uso de ondas de rádio públicas para transmitir músicas que promovem/glorificam atividades ilegais pode dar a impressão errada de que a criminalidade é uma característica aceita da cultura e sociedade jamaicana”, disse o comunicado. 

Romeich, um músico jamaicano e executivo de entretenimento, foi às redes sociais para questionar a proibição.

+++ LEIA MAIS: Os 100 melhores discos da década de 2010, segundo a Rolling Stone EUA [LISTA COMPLETA]

“Embora eu entenda porque as pessoas se sentem assim e mesmo que eu não concorde com a glorificação de armas ou qualquer uso de qualquer droga, não podemos impedir os criativos (artistas) de cantar sobre o que vêem ao seu redor ou cresceram ao redor, ”, escreveu Romeich no Instagram. 

Rvssian, outro músico, respondeu nos comentários: “Ainda bem que não precisamos mais de rádio. Não me lembro dos últimos royalties que me pagaram. YouTube d ting Deh de qualquer maneira”, escreveu ele.

Esta não é a primeira vez que a Jamaica tenta censurar sua indústria musical local. Em 2009, os reguladores de transmissão proibiram letras sexualmente explícitas, mas as sanções raramente foram aplicadas ao longo dos anos.

Na época, a artista jamaicana de reggae Tanya Stephens escreveu um artigo de opinião no jornal local Jamaica Observer após a proibição.

“Toda vez que há uma grande pressão para conter o crime ou o comportamento anti-social, algumas dessas mesmas cabeças imutáveis ​​se encontram novamente e lançam a mesma proibição arcaica como 'medida'”, escreveu Stephens. “Se o banimento funcionou, por que há muito mais músicas designadas para serem banidas agora?”

A Comissão de Radiodifusão da Jamaica não se pronunciou e nem forneceu detalhes sobre como a proibição será aplicada e quais punições os infratores receberão (via Vice).