Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Kanye West fez acordo de silêncio com funcionário que ouviu falas antissemitas

Conforme revelou à NBC News, ex-funcionário de Kanye West assinou termos de confidencialidade após presenciar falas antissemitas

Redação Publicado em 03/11/2022, às 13h52

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kanye West (foto: Getty Images)
Kanye West (foto: Getty Images)

Kanye West pagou por silêncio de funcionário após proferir falas antissemitas e admitir suposta admiração por Hitler - líder da Alemanha Nazista. Conforme revelado pela NBC News, acordos visavam evitar que informações sobre reuniões com o rapper fossem divulgadas.

Ao menos seis funcionários afirmaram que Ye - nome legal do músico - fazia constantes elogios a Hitler e ao regime nazista. As falas acontecem desde 2018, segundo as entrevistas, anos antes das recentes polêmicas que o envolvem.

+++ LEIA MAIS: Apple Music remove playlist de Kanye West

Sem revelar a identidade, os ex-integrantes da equipe do rapper mencionaram os acordos de não-divulgação. Embora, publicamente, West negue que tenha feito comentários do tipo, testemunhas alegam que a prática era recorrente, e muitos contratos foram assinados.

Ryder Ripps, artista judeu que trabalhou com Ye entre 2014 e 2018, também concedeu entrevista à emissora, e afirmou que Kanye fez comentários antissemitas até em sua presença.

+++ LEIA MAIS: Kanye West queria lançar disco com nome de Hitler, diz jornal

Na última semana, a CNN revelou outros atos antissemitas do rapper - incluindo admiração perturbadora por Hitler e o desejo de usar nome do nazista como título de disco.

Kanye West perde US$ 2 bilhões em um dia após falas antissemitas

Após fazer comentários antissemitas nas redes sociais, Kanye West perdeu US$ 2 bilhões, aproximadamente R$ 10,6 bilhões, em um dia - além de deixar de ser bilionário e perder parcerias e contratos com marcas como Adidas e GAP.

Com as falas antissemitas, West teve contas no Twitter e Instagram bloqueadas, mas conseguiu recuperá-las. Na última quinta, 27, o rapper reagiu às consequências e afirmou como "o dinheiro não é quem eu sou."