Antiga residência de Jimi Hendrix em Londres será atração turística

Casa descrita como “o único lar que tive” pelo guitarrista será aberta em 11 de fevereiro

Redação Publicado em 30/01/2016, às 10h24

<b>Lendário</b><br>
Em 18 de junho de 1967, Jimi Hendrix fez história no Monterey Pop Festival.
Getty images

Em 1968, Jimi Hendrix se estabelecia como astro do rock na Inglaterra, tendo lançado os dois primeiros singles, Hey Joe (1966) e Purple Haze (1967), além do álbum de estreia com a Jimi Hendrix Experience, Are You Experienced? (1967). O guitarrista já morava em Londres desde 1966 e construiu uma reputação com shows energéticos em diversos locais da cidade.

Rolling Stone elegeu os 100 maiores guitarristas de todos os tempos: veja a lista.

Em 1968, ele passou o ano divido entre turnês nos Estados Unidos e sessões de estúdio para gravar o segundo disco completo da carreira, Axis: Bold as Love (1968). Quando voltou a Londres, ele e a então namorada, Kathy Etchingham, se estabeleceram no número 23 da Brook Street, casa na qual ele concedeu diversas entrevistas, compôs músicas e foi uma vez descrita por ele como “o único lar que tive.”

A partir do próximo dia 10 de fevereiro, a casa passará a ser um museu permanente, depois de ter sido restaurada e ornada com acessórios, telas e referências à obra e à vida de Hendrix. Único endereço reconhecido mundialmente como residência oficial do guitarrista norte-americano, a casa possui cômodos que os fãs do músico desejam visitar há décadas.

Galeria: os melhores segundos discos de grandes nomes da música.

Uma das curiosidades do local é que o músico clássico Georg Friedrich Handel morou na casa ao lado no século 18. Quando Hendrix soube que Handel viveu no número 25 da mesma rua – literalmente a residência vizinha –, ele chegou a comprar as obras Messiah e Water Music, de Handel, para conhecer o trabalho do artista.

Um museu na casa que foi de Handel já está funcionando no endereço desde 2001, e a de Hendrix será aberta em 11 de fevereiro. O lar do guitarrista foi reconstruído durante cerca de dois anos para ter a mesma aparência de quando ele morava lá, oferendo detalhes da vida doméstica em Londres na segunda metade dos anos 1960. As entradas para o museu custarão 7,50 libras (cerca de R$ 42).