Conheça Grecco Buratto, brasileiro que integra a banda de Shakira

Guitarrista fala sobre a turnê ao lado da cantora e de seu passado musical, que inclui trabalhos ao lado de Pink, Christina Aguilera, Enrique Iglesias e outros nomes internacionais
  • Imprimir
por Por Stella Rodrigues
16 de Março de 2011 às 14:12

No melhor estilo "bom filho", o músico Grecco Buratto retornou ao seu Rio Grande do Sul na última terça, 15, muito bem acompanhado. Após anos morando em Los Angeles, onde estudou música e trabalhou ao lado de grandes nomes internacionais, como Earth, Wind & Fire, Pink, Macy Gray, Dionne Warwick, Christina Aguilera, k.d. lang, Enrique Iglesias e outros (isso sem falar na participação na trilha de séries, como Dawson's Creek, e filmes, como Miami Vice), Buratto voltou ao país onde nasceu para subir ao palco ao lado de Shakira. A cantora está na estrada com a turnê mundial The Sun Comes Out, e aqui se apresenta dentro do Pop Music Festival, organizado por ela.

A parceria aconteceu um pouco por acaso, segundo Grecco. Após tantas parcerias de peso, ele se viu em um período de entressafra e fez o que todo mundo que vive como freelancer costuma fazer: "Comecei a ligar para os meus amigos e conhecidos para dizer que estava disponível para trabalho. Uma dessas pessoas foi o Brandon [Buckley, baterista de Shakira]". Na época, nada vingou - a cantora estava com a banda completa, mas logo surgiu a vaga de guitarrista. Grecco fez o teste, ao lado de cinco outros músicos, e terminou contratado. De uma hora para a outra, sua vida mudou. Deixou de lado o estúdio, onde estava atuando como produtor, e caiu na estrada ao lado do furacão pop que até então conhecia mais por causa do disco Pies Descalzos (1996), apresentado a ele pelos amigos colombianos que fez quando se mudou para os Estados Unidos.

Acostumado com a vida de estrada, Grecco não reclama do cansaço, mas admite que a rotina de aeroporto/hotel/palco é puxada. "A gente está na metade da turnê. A apresentação de Porto Alegre [que acontece na terça, 15] é a de número 57. O primeiro show foi no dia 15 de setembro de 2010, no Canadá. Excursionamos os Estados Unidos até 29 de outubro. Foram três ou quatro dias de folga, depois fizemos divulgação em programas de TV e partimos para a Europa." Mas isso não quer dizer que a vida seja só trabalho, malas, check-ins e check-outs. "Quando a gente chega em uma cidade nova, sempre saímos para caminhar. É fascinante ter todo esse contato com muitas outras culturas".

Para passear, conta com a companhia daquilo que ele chama de "família da estrada". Outros músicos, bailarinos, produtores se reúnem, sempre que possível, para desbravar a vida noturna e a gastronomia locais. Quando há uma folga na agenda, ocasião ainda mais rara, Shakira se junta ao grupo.

"A gente, em geral, não tem muito contato porque ela tem uma agenda de compromisso superlotada, acaba viajando separadamente", diz sobre a popstar. "A Shakira é superlegal, acessível, intensa - tem aquela intensidade que aparece no palco. Ela é também muito exigente e dedicada com o show, quer que o espetáculo que ela apresenta seja do jeito que ela quer. Isso quer dizer ensaios de muitas horas. Às vezes nem só por causa da questão musical, mas também visual", Grecco conta. "Ela gosta de saber o que acontece com tudo: luzes, vídeo, ângulos da câmera. Tudo."

Nesta perna da turnê, quem dá as dicas de passeio é o guitarrista, que, além de mostrar seu país aos colegas, aproveita que está em casa para mostrar ao vivo, em apresentações solo (saiba mais abaixo), o conteúdo do seu ainda não finalizado primeiro álbum. "Esse disco tem sido minha vida nos últimos três anos, passou a consumir todo o meu tempo", Grecco revela. As músicas são cantadas em português, apesar de todo esse tempo de moradia nos Estados Unidos e da convivência com artistas internacionais. "O disco que eu estou fazendo não é do Grecco guitarrista. O Grecco guitarrista tocou com todas essas pessoas e é versátil. Mas na hora de fazer meu disco, parte do desafio foi encontrar quem eu era. Por isso, decidi manter o foco nas músicas e não na habilidade de transitar em estilos. No fim, é um disco de música brasileira, tem bossa nova, tem um xote, coisas mais pop rock. Acaba tendo uma homogeneidade sonora." O trabalho ainda não tem título, nem previsão de lançamento.

Pop Music Festival
Artista internacional, quando pisa em palco brasileiro, costuma ter aquele mesmo papo manjado que se ouve há anos: "melhor plateia", "povo mais caloroso", "estávamos ansiosos". No caso de Shakira e sua trupe, é tudo puramente sincero, garante Grecco. "É verdade, é assim mesmo. O pessoal da banda nunca veio tocar no Brasil e ela não vem faz tempo, eles estão todos muito empolgados. A produção está muito feliz que vim tocar na minha cidade, para a minha mãe, meus irmãos. E voltar tocando com uma estrutura desse tamanho é um sonho de menino realizado", diz ele, que está se apresentando, na América do Sul, para os maiores públicos que já viu diante de si, "30, 40, 50 mil pessoas".

Grecco Buratto no Brasil
18 de março
Ao Vivo Music - Rua Inhambu, 229 - Moema
R$ 20
Informações: (11) 5052-0072

Recomendadas