Fora de reunião, ex-baixista do Smashing Pumpkins critica Billy Corgan: “Deve ter um tumor no cérebro”

D’arcy Wretzky divulgou mensagens de texto que trocou com o líder da banda norte-americana, comprovando que foi excluída da iminente reunião da formação original
  • Imprimir
por Rolling Stone EUA
14 de Fev. de 2018 às 17:19

A polêmica envolvendo a tão aguardada turnê de reunião do Smashing Pumpkins continua. Nesta quarta, 14, um dia antes de a contagem regressiva no site do grupo chegar a zero, o site Alternative Nation publicou a primeira entrevista exclusiva com a ex-baixista da banda, D’arcy Wretzky, em 20 anos. Na publicação, ela conta tudo sobre a briga com o vocalista Billy Corgan e evidencia as mentiras envolvendo sua convocação para participar do reencontro.

“Todo mundo disse que o Corgan mudou desde que se tornou pai, e ele consegue ser encantador e divertido. É legal conversar com ele. Gosto de discutir coisas profundas com ele”, ela contou na entrevista. “Fiquei muito tempo fora desse mundo, não estava sabendo de muita coisa maluca, como por exemplo que ele apoia o Trump. Como assim? A história de ele ter visto alguém se transformando, eu sinceramente acho que ele deve ter um tumor no cérebro. Ele sempre foi insuportável.”

De acordo com D’arcy, depois de trocar algumas mensagens de texto com Corgan, ela ficou sabendo que ele já havia convocado Jack Bates (filho de Peter Hook, ex-baixista do New Order e do Joy Division) para tocar baixo na turnê, ao lado de Corgan, James Iha, Jimmy Chamberlain (integrantes originais do Smashing Pumpkins) e do guitarrista adicional Jeff Schroeder. O que ela não sabia é que o vocalista havia planejado que ela participasse mais como uma atração especial, semelhante a Steven Adler, baterista do Guns N’ Roses, que recentemente apenas faz participações esporádicas nos shows.

“Aparentemente esse era o plano desde o início. Ele já tinha o Jack Bates. Foi simplesmente inacreditável e nojento”, ela diz. “Foi muita cara de pau, e ainda vir me dizer: ‘Bom, a gente não te vê faz tempo, e você não tem feito isso, e você não conseguiria fazer aquilo. Todo mundo apareceu, menos você?’. Como eu poderia ter aparecido, eu nem sabia que vocês se juntariam.”

Na última segunda, 12, o Smashing Pumpkins divulgou um comunicado dizendo que os integrantes haviam tentado entrar em contato com D’arcy para inclui-la nos planos da turnê de reunião, mas que ela recusou diversas vezes o convite. Esse comunicado veio após a baixista dizer, em vários posts nas redes sociais e em um breve comentário ao site Blast Echo, que Corgan havia feito a proposta para ela participar do reencontro, para logo em seguida desfazer a proposta.

“Ele não vai me perdoar. Ele queria que eu fizesse o que ele queria, e está furioso comigo por ter contado a verdade”, ela comenta sobre a divulgação das mensagens que trocou com o músico. “Ele diz que ‘precisamos estar na mesma página’. Apenas seja franco e diga: 'Você não quer que eu conte para as pessoas que eu não serei a baixista'.”

Na entrevista, D’arcy também acusa Corgan – que no passado criticou turnês de “maiores sucessos”, com o intuito de ganhar dinheiro – de organizar a reunião porque a aventura no mundo da luta-livre o deixou “meio que em um buraco”.

Ela continua dizendo que “levou muito tempo para que eu não ligasse, e para que eu não o odiasse. Agora eu não odeio ele. Voltei para onde eu estava no começo das coisas. Eu dou risada dessas histórias dele, e vou seguir minha vida. Não sinto pena dele. Mas acho que ele precisa fazer uma ressonância magnética.”

O Smashing Pumpkins deve anunciar a reunião dos “integrantes originais” na próxima quinta, 15.

Recomendadas