Lollapalooza 2014: Iggor Cavalera faz participação curta, mas efetiva na performance do The Bloody Beetroots

A apresentação do duo italiano de música eletrônica teve anos 50, punk, metal e orquestra misturados em menos de uma hora

Redação Publicado em 06/04/2014, às 22h17 - Atualizado em 07/04/2014, às 14h40

The Bloody Beetroots no Lollapalooza
Reprodução/Twitter

A prometida e aguardada participação de Iggor Cavalera, ex-Sepultura e atual Cavalera Conspiracy e Mixhell, na apresentação do The Bloody Beetroots no Lollapalooza foi curtinha, mas efetiva para fechar muito bem a experiência auditiva curiosa que é o show do duo italiano de música eletrônica, que ano passado gravou com Paul McCartney. Em uma hora e com transições que beiram o perfeitamente natural, a soma de instrumentos e computadores comanda um passeio por eletrônico, rock dos anos 50, psicodelia, música orquestral, metal, punk, tudo com muito vigor e inovando o que é feito na música eletrônica atual.

Na verdade, o show é mesmo do artista formado em música clássica Sir Bob Cornelius Rifo, o líder vigoroso e potencialmente possuído do projeto, que ainda conta com Tommy Tea e um baterista que acompanha a dupla na turnê – todos parcialmente escondidos sob máscaras de Venom, personagem das HQs Homem-Aranha. A ideia para a indumentária veio de Cornelius, que é fascinado por quadrinhos. Ele também é uma atração à parte, alternando performances ao piano e guitarra com saltos pelo palco e gritos enfurecidos, provando uma desenvoltura aeróbica de fazer inveja nas cantoras pop.