Michael Jackson admitiu que não era o pai biológico de Paris e Prince Michael, diz amigo

Jason Pfeiffer sustentou as alegações de que o ator britânico Mark Lester é o verdadeiro pai das crianças
  • Imprimir
Michael Jackson
Bang Showbiz
por Bang Showbiz
25 de Junho de 2013 às 12:12

Michael Jackson pode ter revelado que ele não era o pai biológico de Prince Michael e Paris. Um amigo do falecido Rei do Pop, Jason Pfeiffer, afirma que o astro confessou alguns meses antes de sua morte, ocorrida há quatro anos, em junho de 2009, que o ator britânico Mark Lester era pai de seus dois filhos mais velhos com a ex-mulher Debbie Rowe. O cantor também teria admitido que ele só era pai biológico de seu filho mais novo, Blanket, que nasceu de uma barriga de aluguel.

Em 25 de junho de 2009, o mundo perdeu a maior estrela pop que já existiu: Michael Jackson. Relembre a trajetória do astro, dos tempos de Jackson 5 aos ensaios para a temporada de shows This Is It, em grandes reportagens da Rolling Stone.

Pfeiffer disse ao jornal Daily Mirror: "Michael e eu sempre conversamos sobre nossas famílias e nossas vidas. Um dia, enquanto falávamos sobre os seus filhos e Debbie Rowe, ele simplesmente revelou que o verdadeiro pai de seus filhos era Mark. Ele disse calmamente: 'Meu amigo Mark doou o esperma'. Fiquei surpreso, mas eu não achei que deveria fazer mais perguntas sobre o procedimento. Michael sentiu que Mark era um de seus amigos mais próximos. Ele disse que ele era um grande ator e homem muito bom. Ele mencionou que havia recolhido os espermatozóides de várias pessoas e decidiu por Mark."

A lenda da música pop supostamente confidenciou isso a Jason quando este o visitou na clínica médica de Arnold Klein, em Beverly Hills, em fevereiro de 2009, Jackson morreu quatro meses depois, quando o médico Conrad Murray administrou uma dose fatal do anestésico propofol. Murray foi condenado a quatro anos de prisão por homicídio culposo.

Os vídeos mais caros de Michael Jackson.

Pfeiffer acrescentou: "Nos dias que sucederam, eu percebi o significado da confissão dele. Michael havia me confidenciado esse segredo. Naquela época, eu mantive em segredo muito do que Michael me disse, e ele confiava em mim."

Ele continua dizendo que Michael teria reprovado o envolvimento de Debbie com a vida de Paris, agora com 15 anos, e Prince Michael, de 16 anos, depois que ela abriu mão da guarda deles durante o seu divórcio em 1999, e que preferiria que Mark – que havia afirmado anteriormente ser o pai das crianças – fizesse parte da educação deles.

"Se Michael soubesse o que poderia acontecer, eu sinto que ele aprovaria que Mark tivesse um papel mais ativo na vida das crianças. Mark seria uma boa pessoa para eles terem em suas vidas. Ele tem seus próprios filhos adolescentes e tem sido fiel a Michael durante anos. Se Michael escolheu sua 'semente', então ele iria querer envolvê-lo", continuou Jason Pfeiffer.