Rock in Rio

Mike Patton leva música italiana ao Rock in Rio e “briga” com o Stone Sour

Atraso fez o Mondo Cane se apresentar simultaneamente a show do Palco Mundo
  • Imprimir
por Paulo Terron, do Rio de Janeiro
24 de Set. de 2011 às 21:32

O público até que tentou gritar o nome do Faith No More (festival errado: a banda toca no SWU, em novembro), mas o set do Mondo Cane, no Palco Sunset do Rock in Rio, foi totalmente dedicado ao repertório do projeto “erudito pop” do cantor Mike Patton.

As faixas misturam elementos de trilhas-sonoras italianas com o modo peculiar de cantar do músico norte-americano, em um choque cultural Estados Unidos/Itália só superado pela passagem do reality show Jersey Shore pelo país de Silvio Berlusconi.

O conjunto – incluindo integrantes da Orquestra Sinfônica de Heliópolis – que acompanhou o músico no show carioca teve perto das três dezenas de músicos. Além de violinos, bateria, baixo, guitarra, backing vocals e teclados, havia até um bastante utilzado teremim. Mas se Patton se preocupou com essas sutilezas de som, viu seu esforço ir por água abaixo com um som abafado e nada definido.
Entre frases em português, inglês e italiano (sem contar algumas “derrapadas” pelo espanhol), Patton sorriu durante boa parte da apresentação (que começou com 1h45 de atraso, às 19h45). “Do caralho, Rio!”, festejou o vocalista. “Bem-vindo ao nosso mundo, o Mondo Cane.”

Com o problema de horário, parte do show ocorreu quando o Stone Sour já tocava no Palco Mundo. Patton demonstrou bom humor ao lidar com o som vindo do palco maior e encaixou (rindo) um “shut the fuck up, you assholes” ("calem a boca, seus babacas") em uma das músicas do bis e foi ovacionado.

Recomendadas