Nirvana assinou com a gravadora Sub Pop, em 1989, por US$ 600; veja o contrato

Banda foi contratada pelo selo de Seattle para o lançamento do disco de estreia, Bleach

Redação Publicado em 24/08/2013, às 11h30

Kurt Cobain
AP / Charles Peterson

A Sub Pop tinha algo especial em mãos com o Nirvana e precisou dar a eles apenas US$ 600 para agarrá-los contratualmente. O influente selo de Seattle publicou o contrato original com a banda no Tumblr oficial (veja a imagem ampliada aqui).

Na capa de agosto: In Utero, último disco do Nirvana, nasceu no Brasil.

Embora o documento não seja datado, ele mostra a formação de início do Nirvana, com Kurt Cobain, Krist Novoselic (ali citado como Chris), Chad Channing e Jason Everman. O acordo é baseado em um ano de contrato, começando no dia 1º de janeiro de 1989, até o fim daquele ano, com opções de dois anos subsequentes, até 1991.

Música versus religião: 15 clipes que retratam (e polemizam) os dogmas da igreja. “Heart-Shaped Box”, do Nirvana, está entre eles.

O contrato especifica que seriam dados US$ 600 avançados pelo primeiro ano, US$ 12 mil para o segundo ano e o dobro para o terceiro. Não havia uma cláusula para um quarto ano.

O contrato notadamente exige três fitas máster de álbuns completos, um para cada ano de contrato – o primeiro, obrigatório, e os outros dois, opcionais. Foi a Sub Pop que lançou o disco de estreia do Nirvana, Bleach, em 1989, antes de a banda se mudar para a DGC e, em 1991, lançar Nevermind.

Por dentro do relançamento repleto de raridades de In Utero.

A Sub Pop revela que a Geffen pagou pela quebra de contrato do Nirvana para levá-los consigo, além de ter dado direitos pelos futuros discos, em um acordo que tirou as finanças deles do “vermelho para o azul.”

O relançamento de aniversário dos 20 anos do último disco do Nirvana, In Utero, será no dia 24 de setembro.