Os dez melhores filmes baseados nos livros de Stephen King

Redação Publicado em 21/09/2018, às 13h10

Galeria - Stephen King
AP

Entrevista Rolling Stone: Stephen King


1 – Um Sonho de Liberdade

O filme é baseado em um romance de 1982 de Stephen King chamado Rita Hayworth and the Shawshank Redemption e os cineastas expressaram arrependimento por não terem mudado o título ainda mais. Afinal, já é complicado o suficiente vender um filme de prisão com orçamento pequeno e sem nenhuma grande estrela. Mas a obra continua sendo um sucesso de público.


2 – À Espera de Um Milagre

Apenas cinco após dirigir Um Sonho de Liberdade, Frank Darabont voltou ao mundo das histórias de prisões de Stephen King. Essa, contudo, continha algo de sobrenatural. É a história de um enorme afro-americano chamado John Coffey condenado à morte pelo estupro e pela morte de duas menininhas brancas. Coffey é completamente inocente e ele se torna amigo de um simpático policial (interpretado por Tom Hanks) que descobre que o prisioneiro tem incríveis poderes de cura. É uma história triste com um final trágico, mas o público adora e filme arrecadou US$ 290 milhões de bilheteria.


3 – O Iluminado

A adaptação de 1980 de Stanley Kubrick é um clássico do terror cuja reputação só cresce ao longo dos anos. A voz mais dissonante, no entanto, é a do próprio Stephen King. “Obviamente as pessoas simplesmente amam e eles não entendem porque eu não gosto”, ele disse à Rolling Stone. “O livro é quente e o filme é gelado; o livro termina em fogo e o filme, em gelo... É tão misógino. Digo, Wendy Torrance é mostrada como um tipo histérico de trapo humano”.

Nós gentilmente sugerimos que talvez seja um grande filme ainda que não seja uma grande adaptação do seu livro, mas King não concordou. “Eu nunca olhei dessa forma. E eu nunca vi nenhum dos outros livros dessa forma. Eu nunca me importei tanto com os filmes. Os filmes são os filmes, se eles forem bons, fantásticos, se não forem, não são. Mas eu os vejo como um meio menor que a ficção, que a literatura e um meio mais efêmero”.


 

4 – Conta Comigo

Fosse o próprio Stephen King a estar fazendo essa lista, ele possivelmente teria escolhido Conta Comigo, baseada no conto O Corpo, de 1982, como seu preferido. Em uma entrevista em 2014 à Rolling Stone, King lembrou com carinho de quando assistiu ao longa em uma sala de exibição em Beverly Hills. “Foi tocante. Acho que assustei o [diretor] Rob Reiner. Quando o filme acabou, o abracei cheio de lágrimas porque aquilo era muito autobiográfico”.


 

5 – A Dança da Morte

O épico de 1978 de Stephen King sobre uma doença que extermina 99,9% da população do planeta era tão longo no primeiro esboço que ele cortou 150 mil palavras e ainda restaram 820 páginas. As passagens cortadas foram reunidas 12 anos mais tarde em uma nova versão que os fãs amaram ainda mais do que a original. Então, não foi surpresa que a minissérie do canal norte-americano ABC tenha sido transmitida durante quatro noites em 1994, excluindo grandes partes do roteiro. A equipe responsável ainda recebe os louros por tentar e conseguir juntar um imenso elenco que incluiu Gary Sinise, Molly Ringwald, Jamey Sheridan e Ruby Dee. Espalharam-se por um tempo rumores de que uma versão para cinema, possivelmente seguida de uma minissérie, está em produção, mas até aqui nada foi confirmado.


 

6 – Louca Obsessão

Muitos dos melhores livros de Stephen King vêm diretamente dos seus próprios medos. Afinal, o que seria pior para um escritor do que ser sequestrado por uma fã obsessiva e forçado a escrever um livro sob aterrorizante tortura? (Anos depois, King confessou que a fã era de fato uma metáfora para a cocaína que ditava sua vida naquela época). Rob Reiner transformou Louca Obsessão em uma obra-prima (embora algumas vezes difícil de assistir) estrelada por Kathy Bates e James Caan em 1990. A história chegará à Broadway ainda este ano com Bruce Willis e Laurie Metcalf.


 

7 – Carrie, a Estranha

Stephen King estava vivendo em um trailer e não tinha grana para comprar fraldas para os filhos quando sonhou com uma história de uma adolescente que sofre bullying e tem poderes telepáticos que iniciam uma revanche brutal contra aqueles que a atormentaram. O livro de 1974 foi um sucesso instantâneo e apenas dois anos depois Brian De Palma o transformou em um filme com Sissy Spacek. Carrie, a Estranha é um dos longas de terror mais amados da década, apesar de suas sequências e refilmagens terem sido nada estimulantes. Houve até uma questionável versão da Broadway e uma reedição com Chloë Grace Moretz, há apenas dois anos. Ignore tudo isso e veja o original.


 

8 – O Nevoeiro

Frank Darabont é mais conhecido atualmente por ter criado The Walking Dead, mas, antes disso, ele formou uma carreira adaptando livros de Stephen King para o cinema. Nos anos 1990, ele dirigiu as obras prisionais Um Sonho de Liberdade e À Espera de Um Milagre, e, em 2007, transformou o romance O Nevoeiro em um filme com Marcia Gay Hayden, Thomas Jane e Laurie Holden. É o conto de um assombrado nevoeiro que se espalha por uma pequena cidade dos Estados Unidos depois de uma tempestade. O nevoeiro prende um grupo de pessoas em um mercado, uma situação que desencadeia uma bagunça distópica na qual uma pessoa se vira contra a outra. O filme foi aclamado pela crítica, apesar de só ter arrecadado US$ 57,2 milhões.


 

9 – Christine – O Carro Assassino

John Carpenter foi um dos diretores de terror mais quentes do cinema no início dos anos 1980. Sua série em Halloween basicamente inventou o gênero slasher, mas o remake de 1982 de O Enigma de Outro Mundo penou quando estreou concorrendo com E.T - O Extraterrestre. Ele voltou ao sucesso com uma grande adaptação de Christine (1983). É a história de um carro Plymouth Fury 1958 assombrado que muitos fãs encaram como um dos menores trabalhos de King. Carpenter reuniu um incrível elenco dos anos 1980 com Keith Gordon, John Stockwell, Alexandra Paul e Harry Dean Stanton e criou um filme surpreendentemente ‘assistível’.


 

10 - Eclipse Total

Apenas dois anos depois de vencer o Oscar de Melhor Atriz pelo retrato da obcecada fã Annie Wilkes em Louca Obsessão , Kathy Bates retorna ao mundo de Stephen King estrelando Dolores Claiborne. Dessa vez, ela interpreta uma empregada que, acredita a polícia, pode ter matado o abonado chefe. Dolores nega ter cometido o crime, mas conta em depoimento sua sofrida história de vida que inclui matar o marido depois dele ter molestado a própria filha. Embora não tenha conquistado a mesma bilheteria e a mesma aprovação que Louca Obsessão , Eclipse Total também tem seu valor.