Dez músicas inesquecíveis de Milton Nascimento

Redação Publicado em 26/10/2012, às 18h12 - Atualizado em 27/10/2012, às 15h53

Galeria Milton Nascimento - 0
Léo Boi / Natura Musical

“Travessia”, música que deu nome ao primeiro disco, lançado em 1967, e também o primeiro grande sucesso nacional, ganha uma interpretação linda do nosso aniversariante com o mago Tom Jobim, gravada em 1993.
“Para Lennon e McCartney” ainda é presente nos shows de Milton Nascimento. Foi composta para Milton, 1970, e traz uma sonoridade mais experimental e progressiva, inclusive nas linhas de voz. Essa gravação, de 1983, mostra bem a força da faixa ao vivo.
Parceria entre Milton com Ronaldo Bastos, “Nada Será Como Antes” foi gravada para o disco Clube da Esquina, que causou uma revolução estética na música brasileira em 1972. A mensagem, em intepretação brilhante do cantor, questiona toda a dúvida sobre o que aguardava o Brasil na década de 70.
Mais um grande momento do Clube da Esquina. Desta vez, Milton interpreta a bela letra de Lô Borges e Fernando Brant
O disco Clube da Esquina era assinado por Lô Borges e Milton Nascimento, mas poderia ser de todos os companheiros de geração. “Cravo e Canela”, que você pode conferir aqui, é uma parceria de Milton e Ronaldo Bastos.
Capaz de levantar plateia ainda em 2012, “Maria Maria” é um dos maiores hinos de Milton Nascimento. E, veja bem, a canção vem de Journey To Down, lançado em 1979. Aqui, o cantor apresenta a música criada em parceria com Fernando Brant no México, em 1983.
Veio do álbum Sentinela, de 1980, uma das mais icônicas músicas do cancioneiro de Bituca. “Canção da América” versa sobre a amizade verdadeira, capaz de sobreviver a qualquer distância. Aqui, a versão apresentada no Fantástico, da TV Globo.
O álbum Caçador de Mim veio no ano seguinte ao Sentinela, em 1981. Milton, neste momento, experimentava popularidade entre público e crítica. Deste disco, escolhemos “Nos Bailes da Vida”, numa versão gravada dez anos depois, no New Orleans Jazz Festival.
“Amor de Índio”, uma verdadeira ode ao amor, veio de A Barca dos Amantes , um disco ao vivo lançado em 1986 e que tinha a participação do saxofonista Wayne Shorter. Foi escrita por Beto Guedes e Ronaldo Bastos.
Ainda em 1991, Milton Nascimento lançou o disco O Planeta Blue na Estada do Sol e experimentou cantar em homenagem às mulheres, com “Beatriz”, uma lindíssima composição de Edu Lobo e Chico Buarque. A apresentação deste vídeo é de 1996.