Cera nos ouvidos: uma seleção de músicas que quase sempre são cantadas erradas

Redação Publicado em 27/11/2012, às 18h50 - Atualizado às 18h55

Gwen Stefani
Reprodução/vídeo

“Hollaback Girl”, Gwen Stefani - Veja bem, não é como se o título da música já não esclarecesse o que Gwen está cantando. Ainda assim, muita gente ainda cantava “I ain't no Harlem black girl” (“eu não sou uma garota negra do Harlem”, o que ela certamente não é). Para esclarecer, “Hollaback girl” é tipo uma garota “capachinho”, sem espírito de liderança. Diz a lenda que Gwen fez a música depois que Courtney Love a chamou de cheerleader.
“You Oughta Know”, Alanis Morissette - Hino absoluto sobre fins de relacionamento, é também responsável por um dos versos errados mais engraçados da música. Quando Alanis canta “It's not fair to deny me of the cross I bear that you gave to me” (“não é justo me negar a cruz que carrego, que você me deu”), geral achou que ela estivesse dizendo “não é justo me negar o urso vesgo que você me deu” (the cross-eyed bear that you gave to me”).
“Noite do Prazer”, Cláudio Zoli - Essa já é completamente batida, mas não tem música mais emblemática de uma lista assim. O verso “Tocando B.B.King sem parar” ajudou a fazer a carreira de Zoli, originalmente da banda Brylho, já que ninguém entendia muito bem porque uma pessoa ficaria “trocando de biquíni sem parar” na festa.
"The Sidewinder Sleeps Tonite”, R.E.M. - "Call me when you try to wake her" (em tradução literal "ligue-me quando tentar acordá-la") virou "calling Jamaica" ("ligando para a Jamaica"). Acho que muda um pouquinho o sentido, não?
"Purple Haze", Jimi Hendrix - Outro clássico. "Excuse me while I kiss the sky" vira “"Excuse me while I kiss this guy". Em vez de beijar o céu, o pedido de licença é para beijar esse cara. Hendrix faria 70 anos e ainda assim tem fãs cantando errado.
"Living On A Prayer", Bon Jovi A letra diz "It doesn't make a difference if we make it or not" (algo como “não faz diferença se seremos bem-sucedidos ou não”). A versão errada e popularizada declara "It doesn't make a difference if we're naked or not" (“não faz diferença se estamos pelados ou não”). Haja criatividade!
"Bohemian Rhapsody", Queen - A música tem um monte de línguas e umas partes realmente difíceis. Há vários momentos dela que são comumente entendido errados. Um dos mais engraçados é "Spare him his life from this monstrosity" (“preserve a vida dele dessa monstruosidade”) virando "Spare him his life for this one cup of tea" (“preserve a vida dele dessa única xícara de chá”). Isso porque essa parte é em inglês mesmo.
“Barbie Girl”, Aqua - Antes de mais nada, vale esclarecer que a expressão “go potty” é usada para falar com crianças que estão saindo das fraldas. Significa usar o penico. Tudo muda de figura quando você acha que tem uma banda one hit wonder dizendo “vamos lá, Barbie, vamos usar o penico”. Não, não era isso que o Aqua cantava em todas as rádios no longínquo ano de 1997. Mas sim “let’s go party” (ir fazer festa), o que tem muito mais sentido, considerando o contexto e o resto da letra.
“Hit Me With Your Best Shot”, Pat Benatar - Esta fez muita gente acreditar que tubarões domesticados poderiam ser bons para ajudar na paquera. Pat Benatar desafiou o cara a usar a melhor cantada dele para conquistá-la (“hit me with your best shot”), não pediu para apanhar com o seu tubarão de estimação (“hit me with your pet shark”).
"Dancing Queen", ABBA - Por um período, nos anos 70, pode-se ter pensado que o Abba estava incentivando a violência contra a mulher ou homossexuais. Mas não, não era nada disso. O grupo sueco nunca cantou a terrível frase "See that girl, watch her scream, kicking the dancing queen" (veja esta garota, veja-a gritar, chutando a 'rainha dançante'/'gay dançante'). O que a letra dessa música fofa diz é “See that girl, watch that scene, dig in the dancing queen".