Como curar um coração partido

Redação Publicado em 10/09/2012, às 20h10 - Atualizado em 19/10/2013, às 13h39

Adele
AP

Taylor Swift – "We Are Never Getting Back Together" (2012) – Taylor Swift já namorou várias celebridades high profile e aparentemente algumas dessas relações deram BEM errado. Dentre elas, dizem, está a de Taylor com o galã Jake Gyllenhaal, o suposto objeto de rancor da faixa em questão – até o ator do clipe é levemente parecido! A história toda já gerou boas doses de climão, ainda mais porque Taylor já tinha feito uma música para um ex, John Mayer, pouco tempo antes. Segundo as más línguas, a inspiração veio do fato de que, entre as idas e vindas do casal, um amigo de Jake andou falando de Taylor (e de uma volta definitiva dos pombinhos) e a cantora não gostou nem um pouco.
Adele – “Somenone Like You” (2011) - Mal sabia Adele que todo aquele coração partido seria a melhor coisa que aconteceria a ela. Ela praticamente construiu a carreira, a reputação e seu reinado impressionante nas paradas com músicas sobre términos – e impulsionou uma caçada da imprensa ao moço que a deixou desse jeito, em frangalhos. Com voz e piano ela diz, resignada, “deixa para lá / vou encontrar alguém como você / te desejo tudo de melhor”.
Alanis Morissette – "You Oughta Know" (1995) - Adele pode até ter feito a superior depois de ter sofrido e se acabado, mas o coração de Alanis era só mágoa quando ela compôs esse hino noventista. Ela também deseja “tudo de bom”, como Adele, mas entre outras coisas chama a nova namorada do ex de “uma versão mais velha de mim” (aparentemente mais conservadora, contudo). Enfim, tudo que ela queria era lembrar o cara da “bagunça que ele deixou para trás” e perguntar se ele pensa nela quando transa com a outra. Ui. O mais curioso é que desde aquela época circulam rumores de que a “vítima” de Alanis é, possivelmente, o comediante Dave Coulier, ou então o colega dele na sitcom Full House Bob Saget. Alanis nunca confirmou os boatos, ainda bem – seria muito triste pensar que uma das séries mais bocós da TV noventista está associada a uma das músicas de término de namoro mais legais daquela década.
Kelly Clarkson – “Never Again” (2007) - Alanis criou a escola e Kelly Clarkson se formou com louvor (com letras um pouco menos sofisticadas do que as da mestra, talvez). “Eu espero que o anel que você deu para ela deixe o dedo dela verde”, dizem os dois primeiros versos. Precisa falar mais?
Pink – “So What” (2008) - A letra fala da separação de Pink e o piloto de motocross Carey Hart, que aconteceu seis meses antes do lançamento do disco dela. Na faixa, ela basicamente tenta convencer o mundo que nem liga que seu casamento terminou, afinal, “ainda é uma estrela do rock” e agora “está se divertindo muito mais”. Seria mais fácil de acreditar que Pink está “alright” e “just fine” se ela não colocasse tanta raiva na voz e mandasse todo esse desabafo particular para as caixas do som do mundo todo.
Beyoncé - “Irreplaceable” - Beyoncé faz a prática em “Irreplaceable”. Está tudo acabado, então coloca suas tralhas nessas caixas que estou chamando um táxi. Sim, ela sabe da outra e não venha com "você nunca vai achar um homem como eu” porque ela é a Beyoncé – pode ter outro como você em um minuto.
Justin Timberlake - "Cry Me A River" (2002) - Não tem choro nem vela com o Justin. Se a ex-namorada (no caso, supostamente a cantora Britney Spears, conforme foi publicado amplamente pela imprensa) mudou de ideia, agora é ele quem não quer mais. Justin expressou seu recado por meio dessa música e ainda ganhou um Grammy com ela.
Human League - "Don't You Want Me?" (1981) – Justin deu seu ponto de vista masculino e várias cantoras pop mostraram sua voz até agora. Mas só este item da lista traz as duas vozes alternadas. Assim como em toda letra que versa sobre os dois lados do casal, os pontos de vista não batem, cada um vê os acontecimentos de um jeito. O que importa é que no fim ela não quer mais, o que torna a canção uma “break up song”.
Dolly Parton, "I Will Always Love You" (1974) - Embora a música seja amplamente conhecida na voz de Whitney Houston e constantemente associada ao filme O Guarda-Costas, foi Dolly quem cantou primeiro essas palavras sobre as dores de deixar para trás alguém que ainda se ama. Curiosamente, esse foi um término diferente. A história conta que a cantora fez a música para seu mentor e parceiro Porter Wagoner, de quem estava se separando profissionalmente. Talvez por isso essa seja uma das poucas músicas sobre “fins” sem ressentimento, vingança e mágoa.
No Doubt - "Don't Speak" (1996) - Presume-se que a canção fale sobre o término da relação entre a vocalista Gwen Stefani e o baixista Tony Kanal, depois de sete anos. Sabe-se com certeza que foi uma das melhores coisas que aconteceram com o No Doubt. A canção foi indicada ao Grammy e conquistou a legião de fãs que por anos aguardou ansiosamente e agora, no próximo dia 25, será recompensada com o álbum Push and Shove, o primeiro de inéditas do grupo em mais de uma década.