Dez grandes momentos da brilhante carreira de George Martin

Paulo Cavalcanti Publicado em 09/03/2016, às 16h30 - Atualizado às 16h57

Galeria - George Martin - abre
Rex Features/AP

Sir George Martin, que morreu na última terça, 8, foi muito mais do que o produtor dos Beatles. Prolífico e versátil, ele ajudou a definir a cara do pop rock inglês por quase 30 anos. Graças à expertise e talento de Martin, que além de produtor foi maestro, arranjador e compositor, os Beatles evoluíram musicalmente a passos largos.



A atuação dele foi muito além do rock. Martin também se mostrava à vontade trabalhando com jazz, música clássica, pop adulto, discos de comédia e easy listening. A lista de produções de Martin é imensa e variada, mas selecionamos dez momentos memoráveis dessa brilhante carreira.


“From Russia With Love” - Matt Monro



Matt Monro era considerado o “Frank Sinatra inglês”. O cantor de voz suave e bem colocada foi muito popular durante toda sua trajetória. Em 1963, teve um enorme hit mundial com esta canção, tema do filme Moscou Contra 007. Além da interpretação de Monro, o sensual e exótico arranjo de George Martin fez toda a diferença.


“It’s For You” - Cilla Black



Com uma voz poderosa, a recém-falecida Cilla Black era perfeita para as produções mais orquestradas de George Martin. “It’s For You” era basicamente uma canção concebida por Paul McCartney, mas a ajuda de John Lennon também foi vital. A dupla de compositores se uniu a George Martin em 1964 para dar à canção uma cara definitiva. O arranjo de Martin é calcado no som nas trilhas dos filmes de James Bond. Neste vídeo, Cilla recebe a visita dos autores e amigos John e Paul.


“The Millionaire” - The Dakotas



A banda The Dakotas acompanhava o cantor Billy J. Kramer, amigo dos Beatles e um dos nomes mais bem sucedidos da cena de Liverpool. George Martin produzia e supervisionava as gravações de Kramer e também as incursões solo do pessoal do Dakotas. A instrumental “The Millionaire”, lançada em 1965, foi um imenso hit no Brasil para o grupo Os Incríveis, que adotou o título “O Milionário”. Aqui está a pouco divulgada versão original.


“In My Life” - The Beatles



Um das mais belas canções de toda a discografia dos Beatles “In My Life” foi escrita por John Lennon que, aos 25 anos, já se sentia nostálgico em relação às coisas que tinha feito e às pessoas que havia conhecido em sua atribulada vida. George Martin deu um toque especial à faixa de Rubber Soul (1965). Ele tocou o piano e posteriormente mexeu na rotação. O instrumento ganhou uma sonoridade de cravo, acrescentando à faixa um toque de música barroca.


“The Pepperland Suite” - The George Martin Orchestra



O lado B do vinil da trilha do desenho Yellow Submarine, lançado em 1969, era uma suíte instrumental escrita por George Martin. O destaque do escore foi a evocativa “The Pepperland Suite”, que abria o segundo lado do LP. Com o passar dos anos, ela se tornou popular na programação de rádios de easy listening. No Brasil, a faixa ganhou uma versão chamada “No Mundo dos Sonhos”, executada pelo guitarrista Robertinho do Recife. Ela foi incluída na trilha da novela Pantanal (1990).


“Live and Let Die” - Paul McCartney & Wings



Em 1973, Paul McCartney foi comissionado a escrever o tema principal para o filme Com 007 Viva e Deixe Morrer. O ex-beatle sentiu que a gravação precisava de um toque especial e para isso contou com a ajuda de seu antigo produtor. George Martin se empenhou na produção e no arranjo. O som que criou para a canção foi marcante. Quando o Guns N’ Roses gravou uma versão de sucesso para o álbum Use Your Illusion I, simplesmente emulou o trabalho feito originalmente por Martin.


“She’s a Woman” - Jeff Beck



Este agitado rock cantado por Paul McCartney foi lado B do single “I Feel Fine” (1964). Apesar dos Beatles ocasionalmente apresentarem a faixa ao vivo, ela nunca ganhou o merecido status de clássico enquanto os Beatles estiveram juntos. Mas em 1975 Jeff Beck se uniu a George Martin no álbum clássico de jazz rock Blow By Blow. Uma das faixas que eles resgataram foi “She’s a Woman”. A versão de Beck, em que ele utiliza o efeito de um talk box, logo se tornou presença constante nas rádios de rock.


“Sister Golden Hair” - America



Os norte-americanos Dewey Bunnell, Dan Peek e Gerry Beckey eram filhos de militares que foram morar na Inglaterra. Eles formaram o trio America e, além de se basearem no som de Crosby, Stills, Nash & Young, eram fanáticos pelos Beatles. Em “I Need You” (1972), por exemplo, a produção de Ian Samwell era um xerox perfeito das canções do Fab Four. Logo, os músicos conseguiram realizar o desejo que tinham e conseguiram trabalhar com George Martin em alguns álbuns. “Sister Golden Hair”, do álbum Hearts (1975) foi um hit mundial.


“Ebony and Ivory” – Paul McCartney e Stevie Wonder



Este grande sucesso de 1982, que falava sobre igualdade racial e foi escrito por Paul McCartney, juntou o autor ao amigo Stevie Wonder. A mensagem da canção era simples, mas eficiente e honesta – a faixa incomodou o então governo segregacionista da África do Sul, que proibiu a execução dela nas rádios. A produção enxuta e comercial de George Martin também ajudou no êxito da faixa.


“I Am The Walrus” – Jim Carrey



Em 1998, George Martin lançou In My Life, seu derradeiro álbum de produções. Ele convocou um verdadeiro time de astros para participar do trabalho, incluindo Robbie Williams, Celine Dion, Sean Connery, Jeff Beck e outros. Jim Carrey roubou o show com uma versão bombástica e extravagante para “I Am The Walrus”, a lisérgica canção criada por John Lennon e apresentada pelos Beatles no filme Magical Mystery Tour (1967).